Crítica | Rick and Morty (5º temporada completa)

Veja nossos últimos stories

Rick and Morty é um fenômeno mundial, criado pela dupla Justin Roiland e Dan Harmon em 2013. A série narra as desventuras do cientista, alcoólatra e desbocado Rick e de seu neto Morty em diversas viagens interdimensionais. As duas primeiras temporadas da série foram espetaculares, a terceira prometeu uma trama maior para o futuro, a quarta se perdeu em suas promessas e ideias e a quinta… Você confere aqui, quais foram os acertos e erros.

Adult Swin/ Divulgação

Quando se fala de Rick & Morty, o que vem a mente dos fãs é: paródia, descompromisso narrativo e piadas cheias de significado. Isso funcionou até a segunda temporada, após ela as coisas começaram a desandar. A megalomania tomou conta e não tivemos mais temporadas brilhantes apenas lampejos de genialidade aqui e ali nas produções seguintes. Infelizmente, esse problema se repete na quinta temporada.

O problema dessa nova temporada é a consistência e a caracterização dos personagens nos episódios. Tudo aqui é deixado de lado em prol de explorar absurdos da ficção científica repletos de conceitos tão complexos que fazem as piadas perderem a graça. Tudo é apresentado em uma velocidade alucinante, de modo a não deixar o espectador digerir o que viu. A série não dá tempo para que as piadas ou as referências façam sentido. Para piorar diversos personagens são escanteados sobrando para a dupla protagonista carregar o peso da série. Acreditem, apesar de ter três episódios muito bons essa é a temporada menos engraçada até o momento. Temos diversos easter eggs, alguns momentos de metalinguagem ácida e sacadas inteligentes, mas elas acontecem bem menos do que nas temporadas anteriores.

O primeiro episódio da 5ª temporada é espetacular e está acima da média dos demais. “Mort Dinner Rick Andre” é engraçado, pseudocientífico e conta duas histórias: uma simples e outra absurda que se mesclam e se complementam. Em sequência temos o bom episódio “Mortyplicity” que é sagaz dentro de sua proposta eloquente e diverte na medida do possível, daí em diante a qualidade do roteiro caí e temos episódios absurdos e alguns que abusam do mau gosto. Parece que os roteiristas não entendem os personagens que eles mesmos criaram, uma explicação para isso é o menor envolvimento de Justin Roiland e Dan Harmon na temporada, já que ambos estão envolvidos em outras produções. Os episódios são fracos, sem graça e alguns sem nexo. As coisas melhoram nos episódios finais “Forgetting Sarick Mortshall” decide abordar, a força do relacionamento de Rick e Morty. O neto mais medroso apronta mais uma e o avô sociopata mais amado da TV decide substituir seu assistente de viagem por… Corvos. O episódio duplo segue focado nesse tema familiar, mas com focos e tons diferentes. O primeiro tem uma abordagem clássica, em uma situação que permite possibilidades infinitas no tema de ficção científica e tem um final chocante, mas que logo é abandonado (o que é uma pena). As cenas de luta desse episódio são criativas e o arco dramático é comovente. Mas tudo vai por água abaixo no episódio seguinte “Rickmurai Jack” que decide mesclar a situação do episódio anterior com uma trama abandonada do Morty Maligno (lembra dele?).

Adult Swin/ Divulgação

Essa trama deveria ter sido abordada na terceira temporada, o modo como isso é relembrado no episódio é hilário, e a ideia foi abandonada até então para, agora na quinta temporada, ressurgir das cinzas. Tudo aqui no episódio final é visto com pressa e para completar, os escritores usam da quebra da quarta parede para lembrarem que odeiam essa trama e que preferiam manter a trama no estilo episódio da semana. Realmente deve mais fácil escrever aventuras de ficção científica únicas do que sustentar uma trama que se arrasta em outros episódios, mas se não gosta não faz. Fazer e jogar na cara do espectador que não gosta é irritante, não engraçado. As piadas aqui funcionam no estilo “piscou, perdeu” o que é prejudica. Novamente temos muita coisa para pouco tempo (não só nesse episódio, mas nas últimas temporadas).

O final do episódio aponta para um caminho de retomada, com aventuras mais simples. Vamos ver se essa promessa se cumpre. Mesmo com tantos problemas no roteiro, Rick & Morty segue sendo divertida. Que venha a sexta temporada.

- Advertisement -

Ps. O conselho do Sr. Poopybutthole na cena pós crédito, dá esperança de que o futuro da série será melhor. Aguardem!

Revisão Crítica

NOTA
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios. Contato: [email protected]

Deixe sua opinião!

Instagram

AS MAIS LIDAS

Maligno – Confira a crítica do filme Crítica – O Mauritano What If…? – Confira os easter eggs do sexto episódio! Crítica – The Voyeurs Confira 10 séries imperdíveis no Star+ Crítica – Sex Education: 3ª Temporada