sáb, 4 fevereiro 2023

Crítica | Segredos de Guerra

Publicidade

No auge da Guerra Fria, um soldado problemático forma um triângulo amoroso proibido com um piloto de caça e sua companheira em uma base da força aérea soviética. Essa é a trama central de Segredos de Guerra, lançamento da Synapse Distribution para os cinemas brasileiros no dia 5 de janeiro.

O drama russo dirigido por Peeter Rebane (Tulilind) tenta a todo momento emular o sentimento e ideias vistas em O Segredo de Brokeback Mountain, algo que não é errado, mas faz a produção perder força na sua narrativa. Temos algumas diferenças pontuais aqui e ali mas no geral as histórias são quase que as mesmas. Com a diferença de que saem os campos do oeste americano e entra o frio da cultura militar durante a era soviética. O roteiro escrito por Rebane em parceria com Tom Prior (A Teoria de Tudo) constrói todo seu universo com sutiliza e delicadeza necessária. A relação entre os protagonistas começa na última semana que um deles presta serviço militar e começa repleta de receios e inseguranças, afinal eles estão em um ambiente altamente machista e que representações de afeto podem levar a consequências desastrosas na vida de todos os envolvidos.

O romance demora a engrenar e quando acontece é explosivo, pois vemos eles se libertando das amarras impostas pelo quartel. A relação entre eles segue a cartilha dos romances LGBTQIA+ e convence, porém os melhores momentos acontecem quando temos a relação entre os protagonistas como centro das atenções. A química entre Oleg Zagorodnii (Jamaica) e Prior é absurda, entregando um lindo romance. Completando os destaques temos Diana Pozharskaya (On The Edge) que inicialmente não tem tanto espaço em tela, mas cresce com o tempo e ganha uma importância sem igual na história. Os demais coadjuvantes são prejudicados na história, tendo pouca função e espaço no filme que é focada inteiramente no trio e na sua jornada.

Publicidade

Os locais da época, cenários e figurinos vistos são perfeitos e o design de produção merece destaque. Tudo relacionado a década de 70 é reproduzido com perfeição. A fotografia é outro destaque e mostra que o ambiente militar é frio e quase que monocromático, mas quando os pombinhos estão juntos todo ambiente ao redor ganha vida. Já os efeitos visuais quando usados carecem de um polimento maior e são bem fracos, quando comparadas a outras produções com cenas semelhantes.

Segredos de Guerra é uma história que se torna envolvente com o passar do tempo. Um filme que usa a peça de Stravinsky, apresentada na história, como metáfora para tratar sobre temas como amor, liberdade e renascimento.

Publicidade

Destaque

Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios. Contato: hiccaro.rodrigues@estacaonerd.com

Deixe um comentário