Crítica | Sex Education (2º Temporada)

Enfim Sex Education retornou na Netflix, após um tempo de ausência, a segunda temporada conseguiu a proeza de voltar muito mais madura que a primeira e muito mais abrangente nos temas abordados. Afinal de contas nem tudo na vida (mesmo nas dos jovens) se resume a sexo. Enquanto a primeira temporada tinha a dinâmica de apresentar o trio protagonistas e mostrar os seus conflitos com a família ou consigo mesmo e resolver os problemas deles de modo mútuo. A nova temporada opta por uma abordagem diferente, primeiro separar o trio protagonista, cada um acaba deles acaba indo para um novo núcleo e lá seus medos e problemas são desenvolvidos. Quando necessário suas tramas se entrelaçam tornando a história maior e muito mais dinâmica! Essa nova abordagem consegue dar mais espaço para o elenco coadjuvante nesta temporada o que antes não ocorria, pois tudo era centrado no trio Otis, Maeve e Eric. O desenvolvimento disso tudo começa quando na escola uma epidemia de clamídia atinge diversos alunos da escola.

A segunda temporada de Sex Education, assim como a primeira possui uma habilidade rara de conseguir tratar dos mais polêmicos assuntos com uma naturalidade absurda, e principalmente com respeito. Temas como: sexo, dst’s, homossexualidade, bissexualidade, primeira vez, problemas familiares e muitos outros que permeiam a vida dos adolescentes aqui são vistos de modo singular e sem cair no discurso moralista que tanto permeia nossa sociedade atualmente. Um dos melhores episódios dessa temporada é o que trata sobre sobre assédio, o que inicia como uma mera homenagem ao Clube dos Cinco, evolui e trata do tema de modo honesto e emocionante, sem nunca cair no piegas. Além desses momentos sérios a série continua sendo bastante divertida, cheia de momentos constrangedores que são um prato cheio para boas risadas. São situações como essas que fazem a série ser tão querida pelos jovens, afinal de contas na série e na vida real ninguém é perfeito e todos tem falhas, medos e inseguranças.

Um defeito desta nova temporada talvez seja a de não concluir assuntos pendentes da primeira temporada, talvez mais dois episódios e isso seria resolvido, porém essas questões devem ficar para a 3º temporada. O elenco continua sendo maravilhoso é extremamente cativante, as novas adições elevaram ainda mais a qualidade da série. Emma Mackey (que é a cara da Margot Robbie), Asa Butterfield e Ncuti Gatwa amadurecem junto com seus personagens e as poucas cenas que tem juntos nesse novo ano são ótimas e pra lá de divertidas.


Sex Education demorou pra estrear, mas quando o fez trouxe maturidade e carisma para debater diversos assuntos polêmicos do dia a dia dos adolescentes. O final da temporada talvez seja o ponto mais fraco de todos os episódios, mas nada que estrague a experiência e principalmente a diversão de ver o crescimento destes cativantes personagens. Que venha a terceira temporada com novos temas e o carisma de sempre!

NOTA
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios.

Deixe sua opinião!

INSTAGRAM

AS MAIS LIDAS

Crítica | Peaky Blinders: Sangue, Apostas e Navalhas

Uísque escocês ou irlandês? Tanto faz pois com a família Shelby o que importa mesmo é a sede de poder. Uma das séries mais...

Os 10 melhores filmes de 2018

A cada ano que passa somos surpreendidos com filmes cada vez melhores. Muitos, claro, já são aguardados por serem alguma continuação. Outros são ótimas...