Crítica | Shazam!

O que os filmes de heróis, sejam eles da Marvel ou DC, tem em comum? Todos os heróis e heroínas ao descobrirem seus poderes se deparam com a pressão de fazer o certo. O senso de responsabilidade e justiça acompanha todos os heróis, pois, já diziam: “Com grandes poderes, vem grandes responsabilidades”.

Isso é algo sempre presente nas histórias de heróis. Mas amigos, preparem-se para conhecer o herói mais irresponsável (leia inocente) de toda história do cinema, preparem-se para Shazam!


Pra quem não conhece, Shazam! (que não é um herói do primeiro escalão da DC Comics) vamos ao um resuminho. Billy Batson é um garoto órfão de 14 anos que vira um super-herói adulto sempre que grita “Shazam”.
O grito de guerra tem lá o seu sentido. Trata-se da união da primeira letra do nome de personagens de diversas mitologias: Salomão, Hércules, Atlas, Zeus, Aquiles e Mercúrio. A palavra mágica faz com que ele tenha a sabedoria de Salomão, a força de Hércules, o vigor de Atlas, o poder de Zeus, a coragem de Aquiles e a velocidade de Mercúrio.


Apresentado o herói, vamos a sua dúvida. Shazam! é bom ou não?
Shazam! Não é um bom filme de super herói. Ele é um filme maravilhoso!!! Que com certeza irá conquistar sua simpatia e arrancar boa risadas durante a sessão. Assim como em Aquaman (Melhor filme da DC, depois da trilogia de Nolan) e Mulher Maravilha, temos uma história interessante, criativa e que explora o que há de melhor no personagem sem precisar apelar para o tom sombrio e realista que fez muita gente torcer o nariz em produções como Batman vs Superman e no confuso A Liga da Justiça.

O primeiro ponto positivo é a trama amarrada e redonda escrita por Henry Gayden (Terra para Echo) e Darren Lemke (Turbo) que faz uma celebração ao jovem nerd que lê Hq’s e nos deixa a pergunta: “O que você faria se tivesse poderes?” A resposta para essa questão é dada de modo hilário. Com certeza você irá se identificar com as atitudes impensadas tomadas pelo nosso jovem protagonista. Esse é um dos pontos mais positivos desse filme. O seu bom humor, que ironiza as mais variadas situações (algumas delas vistas nos trailers).

Outro ponto positivo é a direção de David F. Sandberg (Quando as Luzes se Apagam) que usa sua experiência em filmes de terror para dar tensão as situações vista em tela, o que casa bem com o humor do filme. Sendo um contraste interessante. Porém nem tudo é perfeição. A concepção das criaturas que remetem aos Sete Pecados é muito monocromática e entediante. O CGI das cenas de ação volta a incomodar e parece bem artificial em algumas cenas (em especial nas de voo). Por falar em ação, ela quase não acontece e quando acontece, as cenas não são as mais criativas (algumas, cenas do terceiro ato, valem MUITO A PENA!).

O elenco é espetacular. Quando escalaram Zachary Levi (Chuck) para o papel de herói eu torci o nariz e confesso que não achei a melhor escolha. Como fico feliz de estar errado. Levi é a escolha mais que acertada para esse papel e conquista no papel de criança em corpo de adulto. Sua química com
Jack Dylan Grazer (It: A Coisa) é sensacional. Grazer fica responsável pelos momentos de nerdice e os tocantes (afinal não se tem um herói sem uma bússola moral). Mark Strong nos entrega um vilão interessante dentro do que o roteiro lhe permite trabalhar.

Shazam! é a prova de que pra sermos heróis não precisamos ter visão de raio-x, voar ou ter super força; basta ter um coração puro e coragem. Esse é um filme divertido, envolvente e que a sua criança interior irá agradecer por você ter visto !!!

Obs: O filme possui duas cenas pós créditos.

Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
O pagode anos 90 moldou meu caráter.

Deixe sua opinião!

INSTAGRAM

SE LIGA

Crítica | La Casa de Papel – Parte 3

“Una mattina, mi son' svegliato..." Nessa nova temporada, a “Bella Ciao” vem com outro significado: Por la familia! O...

Os 10 melhores filmes de 2018

A cada ano que passa somos surpreendidos com filmes cada vez melhores. Muitos, claro, já são aguardados por serem alguma continuação. Outros são ótimas...