Crítica | Space Force

The Office é com certeza um dos trabalhos mais marcantes na carreira de Steve Carell (Amor a Toda Prova), a série fez uma ótima sátira sobre os problemas vividos em um péssimo ambiente de trabalho e divertiu bastante, conquistando uma legião de fãs. Tentando, ou não, repetir o sucesso anterior Carell se une ao criador da série que o lançou ao sucesso, Greg Daniels, para mostrar a vida dentro de uma base secreta da Força Espacial americana. Será que eles conseguiram repetir o sucesso? A reposta está neste texto.

SPACE FORCE

Space Force não se compara a The Office em nenhum fator, a nova parceria entre Carell e Daniels é muito mais light, mas possui um certo sarcasmo ao contar sua história que a todo momento ridiculariza o governo Trump (ele nunca é citado na série, mas diversas pistas indicam que as ideias esdruxulas são do seu governo). A trama da série mostrar o dia a dia do general Mark R. Naird (Steve Carell), que sonha em comandar a Força Aérea, mas é surpreendido com a notícia de que vai liderar a mais nova divisão das Forças Armadas dos EUA: a Força Espacial. Lá ele, uma equipe de cientistas e “astronautas” recebem da Casa Branca a missão urgente de pisar (de novo) na lua e dominar totalmente o espaço.

Cada episódio mostra uma nova “desventura” que o protagonista precisa enfrentar, os episódios emplacam mais pro fim da temporada (os 3 últimos são os melhores). No início a série consegue alguns bons momentos, os episódios iniciais não empolgam. A série possui muitos personagens absolutamente caricatos e muito mal desenvolvidos (e aproveitados) como Lisa Kudrow (Friends) que faz aparições aqui e ali mas que não diz a que veio. Os destaques acabam sendo os dois maiores nomes da série: Carell que está num papel mais sisudo, e mesmo assim consegue arrancar boas risadas e John Malkovich (The New Pope) que funciona como contraponto aos ideais do personagem de Carell, o embate entre os dois rendem os melhores momentos da série. A série peca por construir algumas sub tramas que pouco empolgam. Outro problema da série e que o humor visto não é tão escrachado, o que pode frustar alguns que esperam ser bombardeados por milhares de piadas. Os episódios de 30 minutos, em média, possuem em geral um ritmo bom e a construção da base fictícia onde se passa a história impressiona pelo tamanho e riqueza de detalhes.


Space Force tem bons momentos e diverte no geral, funcionando bem como passatempo sem compromisso. Se a série fosse um foguete ela decolaria aos trancos e barrancos, mas apresenta potencial para no futuro ir longe, algo parecido aconteceu com The Office. Quem sabe com um pouco mais de liberdade Carell e Daniels emplaquem mais um sucesso.

NOTA
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios.

Deixe sua opinião!

INSTAGRAM

AS MAIS LIDAS