Crítica | The Perfection

“Neste suspense macabro, uma musicista excepcional reencontra seus ex-mentores, mas descobre que eles têm uma nova aprendiz talentosa”

É assim que a Netflix define o longa dirigido por Richard Shepard, que teve sua estreia mundial no Fantastic Fest em 20 de setembro de 2018 e foi lançado em maio de 2019 pelo serviço de streaming. Porém, pode-se dizer que The Perfection é um filme de suspense psicológico que vai muito além das aparências.

Charlotte Willmore (Allison Williams) é uma talentosa violoncelista que foi forçada a deixar a prestigiada escola de música Bachoff, na qual ela estava matriculada, para cuidar de sua mãe doente. Dez anos depois esse acontecimento marcante, a mãe de Charlotte morre e ela então decide retomar sua vida e ao entrar em contato com seu mentor Anton (Steven Weber) descobre que ele tem uma nova pupila, Elizabeth/Lizzie (Logan Browning), outra jovem violoncelista cuja carreira se encontra no auge.


Ela então viaja para Xangai, onde a Escola Bachoff realizará uma seleção para novas alunas, participa do processo de seleção como jurada e conhece Lizzie, com quem tem uma afinidade quase que instantânea, que acaba se transformando em relacionamento amoroso no decorrer do filme.

Lizzie entrará de férias e convida Charlotte para uma viagem de ônibus pela China, porém durante a viagem, Lizzie começa a passar muito mal e acredita estar morrendo. Após vomitar no ônibus e se desentenderem com o motorista, as duas são expulsas e deixadas no meio do nada, então no ápice de sua crise, Lizzie é coagida por Charlotte a cortar o próprio braço. E o que acontece a partir daí é uma trama completamente envolvente e intrigante!

The Perfection é um filme cheio de flashbacks que são usados para explicar ao público os caminhos percorridos até que se chegasse a determinadas situações. Tais flashbacks são uma sacada genial, visto que nos leva a entender as decisões e atitudes das personagens e não deixa a sensação de situações inacabadas ou inexplicadas.

O filme não te permite sentir afeto pelas personagens antes dos minutos finais, pois a todo momento a trama muda de direção e passamos a questionar o caráter de Charlotte e Lizzie, nos deixando completamente em dúvida sobre quem está de fato fazendo a coisa certa.

Os cenários e figurinos fazem grande diferença, trazendo um incrível show de cores, mas sem desviar do deslumbramento e do ritmo da narrativa. Tal deslumbramento, inclusive, também pode ser visto na relação entre Charlotte e Elizabeth, que se dá ora provocativa, ora sombria demais – mas muito bem explorada no longa.

As atuações de Allison e Logan merecem destaque. Allison interpreta bem todas as facetas de Charlotte, desde a apatia até o desespero, cinismo e força. Logan por sua vez, nos mostra uma Lizzie perdida, fragilizada, mas que encontra sua força no decorrer da trama.

Como ponto negativo ouso destacar as cenas no ônibus que soaram um tanto quanto artificiais.

No mais, o filme tem a ideia ótima de dar voz à pessoas que são submetidas a abusos psicológicos e sexuais em busca de seus sonhos e de de uma perfeição inatingível.

The Perfection entrou para o catálogo da Netflix em 24 de maio de 2019. Confira o trailer abaixo:

Dayana Maiahttps://estacaonerd.com
A louca das séries e filmes. Apaixonada pelo universo Marvel e DC (não sou capaz de escolher um só), indie rock, livros, games e café. Aguardando a abdução alienígena.

Deixe sua opinião!

INSTAGRAM

SE LIGA

Os 10 melhores filmes de 2018

A cada ano que passa somos surpreendidos com filmes cada vez melhores. Muitos, claro, já são aguardados por serem alguma continuação. Outros são ótimas...