Crítica | Um Lugar Silencioso

Confesso a vocês que conheço muito pouco da carreira de John Krasinski (The Office). Mas a partir de hoje irei acompanhar mais ela. Ele APENAS atuou, dirigiu e (pasmem!) escreveu o melhor filme de terror dos últimos anos.

Um Lugar Silencioso traz uma história simples e curiosa. Em um mundo pós-apocalíptico, uma família é perseguida por uma criatura assustadora. Para se protegerem, eles devem permanecer em silêncio absoluto e lutar por sua sobrevivência, pois o perigo é ativado pelo som.


O silêncio é a chave desta trama, um ruído e ops, morte. Até o espectador irá segurar os gritos durante a sessão de tanta tensão. O filme inicia com os dois pés na porta, mostrando que não tem medo de tomar certas decisões narrativas, por mais brutais que elas sejam.

O roteiro, desenvolvido pelos novatos Scott Beck, Bryan Woods e Krasinski, é ótimo e evita ao máximo aqueles clichês do gênero, além de trazer uma quantidade impressionante de tensão. Outra sacada genial da produção é mostrar o lado emocional da situação. O roteiro transforma o conceito de “não falar” em um defeito da família (algo bem atual). Notamos com o tempo que a família já não se comunicava mesmo quando podia fazer isso. Especialmente o patriarca, um homem fechado e que tem dificuldade em expressar seus sentimentos para seus familiares.

A química do elenco é incrível, todos na mesma sintonia. Emily Blunt (No Limite do Amanhã), que interpreta a esposa de Krasinski no longa (e é sua esposa na vida real) é ótima, e tem uma de suas melhores atuações na sua carreira. O casal faz com que você sinta tudo que vemos na tela.

O monstro criado neste longa deveria entrar para a galeria de monstros icônicos do gênero, não darei mais detalhes para não estragar a experiência, mas se você juntar Alien + Satanás talvez você chegue perto do monstrão que aparece neste longa.

Em resumo seja você fã de filmes de terror ou não. Não perca a chance de ver Um Lugar Silencioso no cinema, de preferência com um som de primeira. Garanto, esse filme vale cada centavo.

Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
O pagode anos 90 moldou meu caráter.

Deixe sua opinião!

INSTAGRAM

SE LIGA

Os 10 melhores filmes de 2018

A cada ano que passa somos surpreendidos com filmes cada vez melhores. Muitos, claro, já são aguardados por serem alguma continuação. Outros são ótimas...

Crítica | The I-Land – 1ª Temporada

The I-Land , nova série da Netflix possui a seguinte sinopse: Dez pessoas acordam em uma ilha traiçoeira, sem memória de quem...