[s3r star=3/5]

Quase todas as sequências de comédia se tornam enjoativas por repetir sempre a mesma fórmula. “Vizinhos 2” possui quase a mesma trama que o primeiro filme,  porém conta a história com uma temática mais séria conseguindo inovar em alguns aspectos.

Dirigido por Nicholas Stoller, “Vizinhos 2” traz Mac (Seth Rogen) e Kelly Radner (Rose Byrne) tentando vender a casa para poder viver no subúrbio. Porém, uma irmandade feminina (Kappa Nu) se inicia na casa ao lado. O casal que já havia enfrentado problemas com universitários barulhentos tentam tudo que for preciso para manter Kappa Nu em silêncio por pelo menos 30 dias (até que a venda da casa se concretize). Para isso, contam com a ajuda de um antigo rival: Teddy Sanders (Zac Efron). Shelby (Chloë Grace Moretz), líder de Kappa Nu, luta para manter a irmandade independente criada com objetivo de mostrar que garotas também possuem o direito de se divertir.

maxresdefault Crítica | Vizinhos 2

O filme faz uma crítica quanto à injustiça de uma casa com estudantes mulheres não poderem fazer suas próprias festas. Após o filme pesquisei sobre a tal lei que proibiria que isto acontecesse. Parece que este rumor começou em 1960: quando o número de mulheres nas universidades aumentou e começaram a dizer que qualquer casa com mais de 6 mulheres residentes seria um bordel. Alguns municípios realmente possuem leis que proíbem mais que um determinado número de pessoas vivendo juntas (homens ou mulheres) para evitar que haja o distúrbio de vizinhanças tranquilas. Porém, não há leis que proíbam festas organizadas por irmandades femininas, o problema então seria estes rumores sexistas que ainda precisam ser extintos das universidades americanas.

Além da temática feminista, “Vizinhos 2” acaba mostrando uma crise existencial vivida por Teddy (Zac Effron): ainda não tendo um emprego “respeitável”, precisou assistir seus amigos virarem pessoas bem sucedidas (um começando seu próprio negócio, outros se casando). Acredito que esta procura de um lugar no mundo por Teddy acabará fazendo com que muitos jovens consigam se identificar com o personagem. A colisão das gerações é muito bem enfatizada pelo diretor: início da independência e direito de se divertir, construção de família, carreira e responsabilidades.

neighbors0002 Crítica | Vizinhos 2

Sobre os momentos engraçados do filme: poucos me fizeram dar risadas. Não digo que o filme não seja divertido, mas é como alguém que faz uma piada engraçada, você da risada e então a pessoa repete várias vezes a mesma tentando fazer você rir novamente. Não sei se deu pra entender, mas tiveram bastantes momentos como estes (como as cenas da criança segurando certo “brinquedo” que insistia em se repetir), além de cenas um tanto quanto embaraçosas.

Seth Rogen e Rose Byrne, assim como no primeiro filme, possuem uma química que funciona perfeitamente. Zac Effron se mostrou novamente carismático e acredito que seja o personagem mais hilário do filme. E complementando o elenco temos Chloë Moretz, que achei bem convincente no papel de líder da irmandade.

No geral, “Vizinhos 2” consegue ser uma ótima sequência se comparado com outras como “Se Beber Não Case 2”. Não consegue ser mais engraçado que o primeiro filme, mas ainda sim consegue divertir bastante.


“Vizinhos 2” estreia no dia 19 de maio.