ter, 24 maio 2022

De Volta aos 15 | Série já é a quarta série de língua não-inglesa mais assistida no mundo

Publicidade

De Volta aos 15” — estrelada por Maisa Silva e Camila Queiroz — já é a quarta série de língua não-inglesa da Netflix mais vista do mundo*. A diretora-geral da série, Vivianne Jundi, credita o sucesso de crítica e de audiência internacional a um apaixonado trabalho da equipe, majoritariamente feminina, que se refletiu na produção. 

“Formamos uma rede de apoio feminina, que pautou toda a produção. Não tem magia, não tem sorte, é trabalho árduo. Sempre foi um sonho conseguir montar uma equipe encabeçada por mulheres, por já ter trabalhado em um universo onde as chefias eram estritamente masculinas. Foram anos de muita luta pra conquistar um espaço de criação que é o que eu amo fazer”, conta Vivi.

Com seis episódios de 40 minutos cada, a série tem direção-geral de Vivianne Jundi, produção de Carolina Alckmin e Mayra Lucas, da Glaz Entretenimento, e direção de Vivianne Jundi e Dainara Toffoli (cada uma dirige três episódios). A série foi inspirada no livro homônimo da escritora Bruna Vieira, adaptada e roteirizada por Janaina Tokitaka. Rita Faustini assina a direção de arte; Fernanda Tanaka, direção de fotografia; Carol Li, figurino; Gabi Britzki, caracterização; Valéria Ferro, técnica de som; Anna Luiza Paes de Almeida, produção de elenco; Marina de Medeiros e Symone Strobel, preparação de elenco; e as continuístas são Paula Mercedes e Florence Weyne. Todos os episódios da série foram montados também por mulheres: Maria Rezende, Joana Ventura e Mari Becker. 
 

Publicidade

“Nesse projeto, o trabalho de criação do visual e linguagem da série, as trocas com os roteiristas sobre as trajetórias dos personagens e os estudos sobre nosso potencial público começaram no final de julho de 2020. É muito bom ver o resultado depois da estreia e relembrar de cada passo que foi dado”, diz a diretora-geral.
 

Na França, Vivianne comandou o time de pessoas da equipe brasileira da produção, além de 30 profissionais locais, nas gravações em locações como o bairro de Montmartre, Place de Concorde, a ponte Bir-Hakeim, Place Dauphine e a Torre Eiffel

“O elenco é ponto fundamental também nesse projeto e tem recebido ótimos elogios do público e da crítica. A escalação de cada um deles foi muito bem pensada e muitos testes online foram feitos até montarmos nosso grupo e iniciarmos a preparação de elenco. O que eu sempre desejo quando me envolvo num projeto é que cada membro da equipe sinta orgulho de dizer que fez. Desde a série e o longa dos Detetives do Prédio Azul, esse virou meu mantra. Quem já me conhece sabe. E olha que eu tenho trazido pra trabalhar comigo pessoas da equipe artística e técnica há mais de 10 anos.”

Hoje, Vivianne Jundi está finalizando seu segundo longa-metragem de ficção, “Meninas Não Choram”, que foi produzido pela Galeria Distribuidora e Morena Filmes. O filme, em fase de montagem e com lançamento previsto para o segundo semestre de 2022, conta a história de Pipa, uma adolescente que luta contra a leucemia, interpretada por Letícia Braga. 

* Fonte: Netflix 

Publicidade

Newsletter

Destaque

Crítica | Stranger Things 4: Volume 1

Quando Stranger Things estreou em 2016, os fãs acompanharam...

Fim de semana de Clássicos | Top Gun – Ases Indomáveis

Explorando novamente Top Gun: Ases Indomáveis é possível perceber...

Crítica | Love, Death + Robots (2ª Temporada)

Love, Death & Robots ganhou sua 2ª temporada na Netflix. Ao compararmos...

Dia do Orgulho Nerd | Produções do Disney+ para comemorar maratonando

A data é comemorada na próxima quarta-feira (25) No dia...
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios. Contato: [email protected]

Deixe um comentário