Ultimamente mais Whovians (pessoas que acompanham a série Doctor Who) têm conversado comigo pelo Instagram devido a grande mudança da série nesse ano. A maioria (vale ressaltar) está curtindo as novidades. A entrada de uma atriz, Jodie Whittaker, MULHER no papel de Doctor tem gerado descontentamento entre alguns que se dizem fã da série, os quais vêm demonstrando seu lado machista. O tema é polêmico, então vamos por partes:

1- Doctor Who é uma série que tem como premissa a mudança.

É assim desde que o senhorzinho fofo (e retrógrado, já que nos anos 60 ele já era velhinho) foi substituído por outro ator dando início a esse detalhe da série chamado: regeneração. A regeneração foi um artifício criado para justificar a mudança do ator, que já estava cansado (pobrezinho), sem interromper uma série de sucesso que tinha ainda muito a ser explorada.

Imaginem o quanto os fãs da época discutiram essa mudança, o quanto foi difícil aceitar aquela “desculpa” ou “remendo” para manter a série no ar. E de quantos ficaram maravilhados pela saída encontrada pela BBC e comemoraram a continuação de Doctor Who, mesmo sem o William Hartnel.

giphy Doctor Who | Precisamos falar sobre a nova Doutora, Jodie Whittaker, e o machismo envolvido nessa mudança

A regeneração acabou sendo aproveitada para renovar o personagem. O novo Doutor, Patrick Troughton, não veio para substituir o primeiro. Ele passou por uma mudança de personalidade. A TARDIS (sua nave) também acompanhou essa mudança e todos foram felizes. A solução, ao longo dos anos, serviu para manter Doctor Who no ar até hoje, mais de 55 anos depois dos primeiros episódios!

giphy Doctor Who | Precisamos falar sobre a nova Doutora, Jodie Whittaker, e o machismo envolvido nessa mudança

2- Viúvos e viúvas são compreendidos!

Sim, dá aquela tristeza dizer adeus para o nosso doutor preferido, mesmo que ele não seja o preferido, mas seja perfeito, como foi o Tennant (pra mim) ou maravilhoso como Capaldi. Mas, a série segue. Se você não entendeu, volte para o parágrafo anterior onde falo sobre mudanças. A série é assim. E fã, Whovian de verdade, sofre mas não abandona, aceita e se apaixona (ou não) pelo próximo Doutor, torce para que a série siga firme, forte e linda. Vida longa ao Senhor do Tempo de Gallifrey!

david-tennant-adeus-1024x574 Doctor Who | Precisamos falar sobre a nova Doutora, Jodie Whittaker, e o machismo envolvido nessa mudança
Quando bate a saudade do Doutor preferido, a gente assiste de novo.

3- Se você não entendeu “a mudança”, você não está acompanhando a série.

Minha dica é: vai num bom site, baixa todas as temporadas não vistas e, como nós Whovians, tenha uma visão do todo, atualizada da série, e você vai entender. A mudança para uma Doutora era esperada. A deixa estava lá: Mestre que regenerou em Missy, O general de Gallifrey regenerando em Generala e seguindo o comando de uma batalha, sem problemas. Todos a sua volta apenas esperaram, aceitaram e seguiram suas ordens. Fora outros diálogos e episódios que deixaram isso muito claro.

mestre-missy-doctor-1024x681 Doctor Who | Precisamos falar sobre a nova Doutora, Jodie Whittaker, e o machismo envolvido nessa mudança
Isso não é Spoiler, porque aconteceu eras atrás!

Os senhores do tempo são uma raça evoluída, que não param para pensar em gênero. São todos pessoas da mesma raça, se homem ou mulher, não faz a menor diferença para eles. Palavras do 12º Doutor. O Mestre e a Missy dialogam sobre isso em um dos episódios, e ela nem tinha percebido que era mulher.

Sem falar que, é uma besteira, diante de uma série que fala em: viagem no tempo e no espaço, invasão de planetas pelas mais variadas formas de vida, um monte de absurdos de ficção científica e explicações estapafúrdias sobre um monte de coisas (a própria possibilidade de um ser “regenerar”), e apesar disso tudo, a pessoa questionar a mudança de homem para uma mulher.

Minha opinião e percepção a cerca dessas pessoas aí reclamando da mudança: elas não assistem mais a série, a maioria está falando sem saber e/ou se enquadram no tópico a seguir.

4- Uma dúvida, isso é machismo ou é homofobia também?

Um pouco dos dois quem sabe? O Doutor já mudou 12 vezes, e até aqui estava tudo bem. Foi ele “virar mulher” que os(as) machistas se levantaram e começaram a reclamar. Por todos os motivos citados antes, a mudança é plausível, mais bem justificada que muitas outras questões na série. Não há problema quanto a isso. E se a pessoa assistiu tudo até aqui e agora viu um problema, desculpe, você é machista, preconceituoso, e isso é muito feio.

tumblr_inline_ne2i1mMpwr1t10bt3 Doctor Who | Precisamos falar sobre a nova Doutora, Jodie Whittaker, e o machismo envolvido nessa mudança
9º Doutor e o Jack

Outro dia recebi um argumento que dizia “…é o mesmo que o Capitão América virar nazista”. Veja bem, a pessoa não disse que é o mesmo que o Capitão virar mulher. Que poderia, eu não vejo problema. Ele disse “virar nazista”. Se você não concorda que tem machismo envolvido nesse comentário – ou pelo menos que tem algo muito errado nele -, larga o texto, eu não vou te convencer de nada.

Não é possível comparar uma coisa hedionda como o nazismo com a mudança para uma mulher simplesmente porque foge de um padrão que algumas pessoas consideram como certo. O Doutor não está se transformando no seu pior inimigo, está só mudando de gênero e isso é perfeitamente normal para os Senhores do Tempo.

5- Sobre a modernização da série!

jodie-whittaker-13-doctor-look-682x1024 Doctor Who | Precisamos falar sobre a nova Doutora, Jodie Whittaker, e o machismo envolvido nessa mudança
Novo Look da 13ª Doutora e da TARDIS – Foto: BBC

Está lá no início do texto, mas vou repetir: O Doutor é um senhor do tempo que se regenera para enganar a morte e pode se transformar em qualquer forma de vida. [qualquer forma de vida] Na próxima regeneração ele pode virar um Ood, ele pode ser uma tartaruga, mas nesse caso ele regenerou numa mulher. Que sorte a dele(a)! Continua sendo humanoide, completo, com todos braços, pernas, cabeça, dentes. E além de tudo, ficou linda!

As regenerações são uma oportunidade de renovar a série. Foi assim que a série moderna trouxe Doutores mais novos, como o Matt Smith, e experimentou um mais velho como o Peter Capaldi. Todos fizeram muito sentido com o momento que o personagem estava vivendo. E agora, a série está evoluindo, mudando, experimentando e se atualizando.

6- O mundo PRECISA de uma Doutora Mulher.

Para nos representar, para que os homens exercitem o que as mulheres fazem desde sempre vendo mocinhos, vilões e personagens importantes homens, para discutir igualdade de gênero, para acompanhar o mundo real. Porque a série é de ficção científica, mas não está alheia ao que se passa no mundo. Longe disso!

E se você está achando que isso é modernidade demais, larga mão desse smartphone, apaga as luzes, sai da tua casa e vai viver numa caverna. Tem coisas, ACEITE, que não tem como evitar. As mulheres estão aí, cada vez mais empoderadas, reivindicando o seu espaço como igual, combatendo o preconceito e o machismo. Gente, é 2018! Bora mudar!

giphy Doctor Who | Precisamos falar sobre a nova Doutora, Jodie Whittaker, e o machismo envolvido nessa mudança

E pra encerrar, vai ter Doutora Mulher, sim!

Jodiezinha vem com tudo, já está arrasando provocando discussões e selecionando os melhores Wovians. Vai ser lindo, e que seja musa de Gallifrey por muitas temporadas, e que venham outras depois dela. Pela minha conta, pode ter mais 12 mulheres. E que numa próxima regeneração a Doutora regenere negra(o), gorda(o), asiática(o), o que tiver de ser para manter o espírito de amor, igualdade, respeito e paz que a série vem tentando reafirmar em cada temporada.

E para quem quiser rever essa transformação maravilhosa, despedida do 12º, chegada da 13ª Doutora, aí está! Eu já assisti mil vezes e ainda me arrepio.

Não adianta espernear, destilar seu ódio, dizer que vai abandonar a série, ela já é a nova Doutora, e vai ser FABULOSA.

Desculpe o desabafo, mas precisava! Desde que anunciaram a Doutora que leio coisas por aí e estava só espalhando meu amor pela mudança. Hoje me obriguei a partir para a defesa ostensiva. Porque sou mulher, porque não sou machista, porque sou whovian e não vou me calar.