Final Fantasy VII Remake – A demo, a hype e um pouco de história

Veja nossos últimos stories

Final Fantasy VII Remake é um dos RPGs mais aguardados dos últimos tempos, desde que sua primeira data de lançamento foi anunciado na E3 2019.

Semana passada tive a grata surpresa de ver que uma demo disponível para baixar, jogar e ter um vislumbre de como será o jogo.

Eu tive a oportunidade de jogar Final Fantasy VII no primeiro Playstation e por ter uma história fascinante, que se passa em uma ambientação incrível, este jogo foi um dos responsáveis por aguçar a minha curiosidade ao ponto de me fazer aprender inglês só para poder compreendê-lo.

Em seus vários CDs, o jogo original trouxe cinemáticas longas que impressionavam na época, mas que não envelheceram bem. Sua mecânica de turnos, hoje em dia, já não é tão popular e os gráficos, dos primórdios do 3D nos videogames, eram estranhos até pra época.

Para eu que já havia jogado Lunar: The Silver Star no Sega CD e outros RPGs como Chrono Trigger, que também me incentivaram a dominar o inglês, ao compararmos animações 2D, no estilo anime e os gráficos com o que víamos em Final Fantasy VII, isso gerava um certo estranhamento.

Porém, apesar dos personagens quadradões, o jogo trazia imagens de fundo no cenário, muito bem feitas, pois mesmo neste tempo, já começávamos a ver imagens 3D pré-renderizadas de boa qualidade, que causavam um grande impacto e admiração, pois eram algo, até então, nunca antes visto.

- Advertisement -

Na exploração do cenário, os personagens se moviam por cima de uma imagem estática de fundo. O caminho e outras interações eram traçados por cima dessa imagem. Uma tática que foi muito usada em jogos nessa geração de consoles.

Final Fantasy VII marcou época em vários aspectos e isso fez com que o game se tornasse um dos favoritos de toda a franquia e de fato, merecia um RPG a altura.

A Square Enix, ao decidir fazer este remake, sabia que teria praticamente o mesmo trabalho de fazer um jogo do zero, pois basicamente, só podiam reaproveitar do primeiro jogo seria o enredo e algumas artes conceituais de personagens e cenários.

Com a certeza de já possuir um público fiel e ansioso por reviver a história de Cloud Strife com gráficos atuais, mostrando o universo de Final Fantasy VII em toda sua glória, a empresa fez um trabalho artístico impecável! Sendo então um dos jogos mais bonitos da geração atual.

Por estarmos no fim da geração PS4 e Xbox One, os desenvolvedores já estão familiarizados com essas plataformas e são capazes de explorar o potencial dos consoles ao máximo, o que faz com que os games deste ano tenham o potencial de serem os mais bonitos desta era.

Mas não é só isso que faz com que Final Fantasy VII Remake seja tão bonito. O trabalho artístico é impecável! O estilo visual dos personagens, um tipo de anime 3D realista, faz ao mesmo tempo, o game não busque fazer com que os personagens sejam parecidos com humanos de verdade e sim, seres com uma fisionomia que, se por um lado possuem traços de anime, todo o resto, desde efeitos de iluminação e física aplicada a roupas e outros elementos, nos façam sentir estar vivendo em um mundo fantástico e real, que apesar de muito humano, ao mesmo tempo é algo além disso, com o qual nos identificamos perfeitamente e somos capazes de nos envolver emocionalmente, sentindo as emoções dos personagens, de uma maneira que, muitas vezes, nem mesmo filmes conseguem transmitir.

Até o momento, só pude jogar a versão de demonstração do game, e isso não deveria ser suficiente para que eu avaliasse o jogo. Mas como estamos próximos do lançamento, posso dizer que, dessa vez, não se trata de uma demo para testarmos o jogo, do tipo que os desenvolvedores usam para averiguar possíveis bugs, mas sim, de uma estratégia publicitária, uma amostra grátis para incentivar as pessoas a comprarem a versão completa.

Essa demo está muito sólida! Na minha experiência não percebi ajustes que precisassem ser feitos ou refinamentos, o jogo parece pronto e deixa essa vontade de querer jogar mais e mais, o que me deixou ansioso por sua versão completa.

Como eu joguei o primeiro jogo e outros spin-offs como Crisis Core: Final Fantasy VII no PSP e Dirge of Cerberus: Final Fantasy VII no PS2, é impossível deixar que a nostalgia afete a minha empolgação, mas acho que posso dizer, com muita segurança, que mesmo que Final Fantasy VII tenha um brilho especial para mim e para os gamers das antigas, ele será sim, um jogo muito bom, até mesmo para quem está tendo contato pela primeira vez com este universo.

Recomendo fortemente que baixem a demo e testem vocês mesmos, afinal, é de graça e o gosto pessoal de cada um varia muito, mas uma coisa é certa, Final Fantasy VII Remake parece muito competente naquilo que se propõe a ser.

A única coisa que não me agrada muito, é o fato do jogo ser lançado em episódios. Isso provavelmente vai gerar muita frustração e é uma proposta muito arriscada da Square Enix.

Vamos torcer para que isso seja bom para que os desenvolvedores tenham tempo de sobra para trabalhar no game e proporcionar todo refinamento que ele merece, mas a meu ver, acho que no fim das contas, isso faz com que compense muito mais esperar até que todos os capítulos sejam lançados e adquirir uma verão definitiva por um preço melhor.

Macaoshttps://estacaonerd.com/games
Macaos - Graduado em Jogos Digitais e desde 1998. escrevendo em sites e fóruns de games. Antes disso, colaborador em locadoras de games no início da década de 90; Emfim... um Old Gamer com muita experiência.

Deixe sua opinião!

Instagram

AS MAIS LIDAS

As Passageiras – Confira a crítica do filme Maya e os 3 Guerreiros- Confira a crítica da animação Uncharted – Confira o primeiro trailer do filme Duna – Confira a crítica do filme Mês do Horror – Qual filme marcou sua vida? Duna – Confira a crítica do filme