qua, 30 novembro 2022

God of War: após Ragnarok, o jogo deve explorar o Antigo Egito

Publicidade

Tumbas, rituais sagrados, construções colossais, descobertas astrológicas: tudo em um tempo distante, muito antes da existência da tecnologia como a conhecemos hoje. Os motivos são muitos para o fascínio pelo Antigo Egito. Fascínio este que a indústria dos games percebeu há algum tempo e, assim, God of War poderá ser o próximo jogo a explorar o tema.

Fonte: Pexels

Egito Antigo ou Egito Presente?

Em geral, o Egito Antigo suscita o interesse de pessoas de todas as idades. Falamos de uma civilização com mais de 4 mil anos de história. Uma das descobertas mais importantes da egiptologia aconteceu há apenas 100 anos: a tumba de Tutancâmon.

O tema continua surpreendendo a todos. Em 2017 houve uma nova surpresa: cientistas encontraram um compartimento secreto na Grande Pirâmide de Gizé. Simultaneamente, objetos continuam sendo descobertos nas proximidades das pirâmides de Saqqara. Esses são apenas alguns motivos pelos quais o Egito continua interessante, já que este povo antigo revela conhecimentos e avanços que os tempos modernos ainda tentam compreender.  

Games e Egito: subtemas infinitos

Publicidade

Quanto aos games, o Egito encontrou um campo rico. Isso porque se por um lado os jogos estão ligados à exploração de um subtema, por outro, apenas isso não basta. Os jogadores estão cada vez mais exigentes em relação à abordagem.

Um dos subtemas mais interessantes e populares é a ligação entre animais e a mitologia egípcia. Muitos templos antigos, hoje vastamente visitados, são dedicados a eles. A deusa felina Bastet, por exemplo, está ligada à fertilidade e ao lar. Hórus, que assume a forma de um falcão, era o deus dos céus e dos vivos. Há também o deus Sobek, que com sua cabeça de crocodilo representa o culto ao rio Nilo e a fertilidade. Muitos animais fazem parte da temática de diversos jogos atuais, como o jogo do bicho do Bacana Cassino, uma plataforma online que disponibiliza inúmeros games que exploram o universo dos animais e do Antigo Egito.

Na categoria dos jogos de estratégia, o clássico jogo Pharaoh foca na administração da cidade. Abordando momentos históricos e reinados marcantes, o jogo ensina sobre a vida cotidiana dos egípcios, o senso de relações com outros povos e outros aspectos, enquanto leva em consideração a ligação com os deuses. Logo, se God of War explorar o tema, surge a pergunta: qual será o seu recorte?

God of War: batalha contra deuses egípcios?

O Egito Antigo é um tema riquíssimo e outros jogos já provaram se tratar de uma boa escolha. Porém, algumas das maiores franquias de games recentes no tema, como Lara Croft e o Templo de Osíris e Assassin’s Creed: Origens, não tiveram deuses egípcios atuando diretamente na história, focando mais em práticas antigas.

Portanto, seria interessante que God of War preenchesse essa lacuna. A expectativa é que o jogo foque em deuses de fato, talvez com Kratos ou Atreus tendo de batalhar contra divindades como Rá, Set ou até mesmo Anúbis.

Por que as apostas no Egito Antigo para o próximo God of War?

Fonte: Pexels 

Vamos a alguns indícios:

  • Simbologia: durante o jogo, os personagens Kratos e Atreus encontram em meio às suas aventuras alguns murais que contêm elementos do Egito Antigo, como o Olho de Rá, símbolo poderoso do Deus do Sol. Ao mesmo tempo, esses murais também contêm símbolos de outras terras concorrentes ao próximo tema de God of War, como Grécia e Japão. 
  • Abordagem já cogitada: vale lembrar que em 2018, quando o jogo estava sendo desenvolvido, grande parte do time queria focar em uma saga egípcia, já que o contraste com deuses gregos seria mais interessante do que com deuses nórdicos.
  • Comics: nos quadrinhos lançados no início deste ano, veremos que os desenvolvedores fizeram com que Kratos conhecesse alguns deuses egípcios antigos, o que pode ser um sinal de que o tema é ainda um favorito.
Publicidade

Por ora, sem colocar a carruagem na frente dos bois, é o momento de os jogadores aproveitarem a recente estreia de God of War: Ragnarok, ocorrida em 8 de novembro. A equipe por trás do game divulgou recentemente vídeos dos bastidores da produção para quem quiser mergulhar ainda mais no universo de Kratos e Atreus.

De fato, Egito ou não, com uma produção de tirar o fôlego, há de se confiar que qualquer que seja a escolha, esta será bem pensada. É possível também afirmar que God of War: Ragnarok pode ser a abertura para uma nova era do game. Poderia Kratos encontrar divindades ainda não cogitadas? Talvez. Os portais culturais são diversos e são essas possibilidades que tornam o jogo tão popular. Aguardemos ansiosos. 

Publicidade

Destaque

Paddington | Curta para comemorar Jubileu da rainha é lançado no Youtube; Assista!

Paddington e a Elizabeth II se uniram em um curta-metragem....

Crítica | Wandinha

Os Addams são uma das famílias mais icônicas na...

Crítica | Sonic Frontiers

Quando um novo jogo do Sonic é lançado, não...

Deixe um comentário