O novo lançamento da editora Rocco ‘A garota dinamarquesa’ conta a história de Lili Elbe, que nasceu Einar Mogens Wegener e foi pioneira na realização da cirurgia de mudança de gênero. O foco do livro é no relacionamento de Einar com sua esposa, a pintora Gerda (Alicia Vikander), e sua descoberta como mulher.

Agarotadinamarquesaok Literatura | A Garota Dinamarquesa e sua adaptação para o cinema A-Garota-Dinamarquesa-filem Literatura | A Garota Dinamarquesa e sua adaptação para o cinema

A obra serviu de inspiração para um filme que estreará em fevereiro. O longa será protagonizado pelo vencedor do Oscar Eddie Redmayne (Einar Wegener/Lili Elbe) e Alicia Vikander (Gerda).

Lançado originalmente sobre o título de The Danish Girl, em 2000, foi o primeiro livro de David Ebershoff, um importante editor norte-americano. No Brasil, o romance foi lançado em 2002 pela Rocco e agora recebe uma nova edição com a capa do filme.

 

Para a reedição, Ebershoff escreveu um belo Posfácio em que fala sobre suas motivações para contar a história de Lili e um pouco sobre o relacionamento de suas protagonistas. Confira um trecho:

“Quando a Vanity Fair liberou sua primeira foto de Caitlyn Jenner no início deste verão, eu logo pensei em outra mulher trans que também se apresentou ao mundo por meio de um retrato cerca de cem anos atrás: Lili Elbe. Em 1930, Lili viajou do ateliê parisiense que dividia com sua esposa, Gerda, até a Alemanha, para fazer uma série de cirurgias na Clínica Feminina Municipal de Dresden, a fim de completar sua transição. Enquanto esteve lá, ela gostava de sentar nas margens ensolaradas no rio Elbe, refletindo sobre seu passado, quando vivia como um homem (seu gênero à época do nascimento) chamado Einar Wegener, e sobre seu futuro, já como ela própria. (O rio viria a inspirar seu novo sobrenome.) Depois de sair da clínica, Lili tentou manter sua privacidade, mas notícias de suas cirurgias começaram a vazar na imprensa europeia, de modo que ela deu um passo ousado: contar sua própria história. Em uma série de entrevistas a um jornalista dinamarquês, Lili revelou ser uma mulher trans, descrevendo sua jornada, o papel de sua esposa nessa transição e como a arte (tratava-se de um casal de pintores) influenciara e formara sua visão de si mesma. Durante um breve período no início da década de 1930, Lili Elbe virou uma notícia internacional, reconhecida como uma das primeiras pessoas a passar por uma cirurgia de afirmação de gênero, com seu nome impresso em jornais ao redor do mundo. Atualmente, retratada por Eddie Redmayne no filme A Garota Dinamarquesa, Lili Elbe é reconhecida por muito mais gente pelo que sempre foi: uma pioneira trans.”

lili-elbe Literatura | A Garota Dinamarquesa e sua adaptação para o cinema