ter, 16 julho 2024

Livro de Paula Klien é indicado por Gerald Thomas, autor e diretor de teatro brasileiro com carreira internacional.

Publicidade

Com honestidade, crueza e toques sutis de humor, a artista Paula Klien adentra as profundezas da existência feminina no livro Todas as minhas mortes. Neste romance de autoficção, publicado pela Citadel Grupo Editorial, a autora dissolve a fronteira entre realidade e fantasia, ao entrelaçar vivências reais com as nuances da própria imaginação. É sob a voz narrativa ambivalente da protagonista Laví (abreviação de la vie ― ou a vida em francês) que o leitor será conduzido a uma viagem pelas águas turvas da subjetividade humana. 

Ousada, determinada e questionadora, a personagem subverte as convenções sociais. As vivências íntimas e visceralmente humanas da personagem provocam sentimentos e reflexões sobre temas relacionados à sexualidade, amadurecimento e maternidade. Entre o prazer e a dor, a protagonista expõe com honestidade suas forças e fraquezas para mostrar todas as vezes que precisou morrer para renascer – como uma fênix – até, finalmente, realizar o sonho de carregar um filho nos braços.  

Eu esgotaria as forças pelo ser que me escolheu para 
– tal qual o Big Bang – expandir do nada um universo inteiro em mim. 
Eu me esvaziaria inteira para bem conduzir quem colocou limite nos saberes 
do mundo e calou a ciência. Eu iria até o fim de todas as linhas com ele, 
e simplesmente com ele: com o mais desejado dos filhos. 
(Todas as minhas mortes, pg. 142-143) 

Publicidade

Capítulo a capítulo, Paula Klien narra uma fase na vida de Laví e a cada ciclo, uma montanha-russa de emoções, pensamentos e sensações toma conta do leitor, que facilmente se identifica com o personagem. Hora em êxtase, hora em agonia, a narradora evidencia que, assim como ela, ninguém é bom ou mau o tempo todo. Ela traz as múltiplas camadas e nuances da existência humana, do primeiro grito ao último suspiro. 

Com uma escolha cuidadosa das palavras e evocando os espíritos de grandes pensadores como Nietzsche, Espinosa e Lacan, a escritora traz para a literatura, além de bagagem como artista multifacetada, elementos da psicanálise e da filosofia. Todas as minhas mortes é uma narrativa repleta de simbolismos, metáforas mas também subjetividade, pois assim como a vida, essa será uma leitura única para cada um. 

FICHA TÉCNICA 

Título: Todas as minhas mortes 

Autora: Paula Klien 

Editora: Citadel Grupo Editorial 

Publicidade

ISBN: 978-6550474140 

Dimensões: 13.5 x 1.2 x 21 cm 

Páginas: 176 

Preço: R$ 64,90 

Onde comprar: Amazon 

Publicidade

Publicidade

Destaque

Hiccaro Rodrigues
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios. Contato: [email protected]