Prepare o lencinho e cuidado com spoilers!

2015 acabou e foi um ano repleto de emoções. Tivemos bons filmes, grandes estreias no Brasil e nos Estados Unidos, ótimos atores premiados no Oscar, perdemos importantes nomes no cinema e nas séries, choramos, rimos, nos arrepiamos… Por isso, no dia 31 de dezembro, chegou a hora de relembrar momentos de filmes que nos fizeram chorar este ano, tenha sido de emoção, de tristeza, de raiva ou, simplesmente, de comoção.

Mas fique avisado: o texto a seguir contém SPOILERS!

Confira a nossa lista, depois conte para a gente: lembra de mais algum?

Cuidado com os spoilers nos comentários também. Por favor, respeitem os amiguinhos que ainda não viram os filmes.

 

A Teoria de Tudo

Já era dteoriatudoe se esperar que um filme sobre a vida de Stephen Hawking seria emocionante. Afinal, A Teoria de Tudo não fala somente um dos mais consagrados cientistas do mundo, mas conta como ele descobriu que sofre de uma rara doença degenerativa e retrata o seu romance com Jane Wilde (Felicity Jones). O longa todo é um drama tocante, mas talvez uma das cenas que mais tenha feito os espectadores chorarem seja aquela em que Stephen (Eddie Redmayne) passou por uma cirurgia, perdeu a capacidade de falar e Jane aparece com um quadro de soletrar, para ensiná-lo a se comunicar. O objeto permite que o físico pisque para selecionar as letras das palavras que deseja expressar, enquanto uma pessoa – no caso, Jane – decifra a mensagem. Só que, no início, parece que ele praticamente desistiu da ideia e de levar a vida em diante, pois não responde à esposa, que insiste no assunto. É de quebrar o coração.

 

Para Sempre Alicealiceforever

Retratar uma doença nas telonas nunca é fácil. Mas Julianne Moore conseguiu com êxito – garantindo sua estatueta do Oscar e emocionando inúmeros espectadores, que choraram e se chocaram com a situação de sua personagem. Para Sempre Alice conta a história de uma renomada professora de linguistica que começa a esquecer palavras e a se perder nas ruas ao ser diagnosticada com Alzheimer. Uma das cenas mais marcantes é aquela em que Alice descobre o vídeo que gravou para si mesma, que dizia para ela tomar um fraco inteiro de remédios e ir dormir. As instruções foram claras, mas, devido a sua condição, a protagonista esquece o que fazer no meio do caminho e tem que rever o vídeo inúmeras vezes. Feliz(ou infeliz)mente, ela é interrompida quando a empregada chega em casa. Impossível não segurar a respiração e se deixar ir às lágrimas nesta cena. Ao contrário do já citado

A Teoria de Tudo, este é um filme que toca não por ser uma biografia, mas por retratar uma condição médica ainda muito comum no mundo.

 

Divertida Mente

divertida

Mexer com sentimentos é um trabalho que a Pixar desenvolve com maestria. E isso inclui dar sentimentos… às próprias emoções, como acontece em Divertida Mente. Este ano, os estúdios fizeram todo mundo chorar litros na sala de cinema. E pasmem: não foram os protagonistas Alegria, Tristeza, Raiva, Nojinho e Medo que deixaram os espectadores desidratados. Essa “missão” foi destinada a Bing Bong, o amigo imaginário de Riley. Ele e a Alegria acabam caindo em um abismo, que é a Terra do Esquecimento. Para voltar ao subconsciente da menina e ao Centro de Comando, os dois começam a cantar uma animada musiquinha que “ativa” o foguete de Bing Bong. Spoiler: [spoiler]Só que o carrinho que os leva está muito pesado, então, o amigo imaginário se solta, ficando para atrás, a fim de permitir que a Alegria consiga chegar lá em cima. Só que as memórias que ficam na Terra do Esquecimento acabam… esquecidas completamente. Isso acontece com Bing Bong: ele se sacrifica para que Riley possa ser salva pelas outras emoções. [/spoiler]Como não se emocionar nesse momento?

 

Velozes & Furiosos 7paul

Mesmo para quem não é fã da franquia Velozes & Furiosos, é difícil não se emocionar com o último filme, Velozes & Furiosos 7, que deu um final digno ao personagem de Paul Walker, afinal o ator morreu em um acidente de carro em novembro de 2013, no meio das filmagens, sendo substituído digitalmente em algumas das tomadas. A emocionante cena em questão mostra Brian (Walker) e Dom (Vin Diesel) disputando uma racha e, depois, seguindo caminhos opostos. Se você não assistiu ao filme, não se preocupe. Basta ver o videoclipe de “See You Again”, música-tema do longa, feita por Wiz Khalifa e Charlie Puth em homenagem ao falecido ator, para ficar arrepiado com essa homenagem (a cena também está presente no vídeo. Confira aqui.) Diesel, que considerava Walker como um irmão, também cantou “See You Again” em homenagem ao amigo em uma entrevista.

Star Wars – O Despertar da Força

kyloVocê achava que só drama que tinha choradeira? Na na ni na não. O filme mais esperado do ano também teve a sua cota de emoção. O mais novo episódio da saga Guerra nas Estrelas, Star Wars – O Despertar da Força, trouxe o retorno dos eternos Princesa Leia (Carrie Fisher), (o sumido) Luke (Mark Hamill), Han Solo (Harrison Ford) e Chewbacca (Peter Mayhew) e ainda apresentou inúmeros personagens novos como Rey (Daisy Ridley), Finn (John Boyega), Poe (Oscar Isaac) e o (ainda não 100%) vilão Kylo Ren (Adam Driver). Só, que como em todo grande filme, é preciso ter uma reviravolta, que veio na forma da morte de um importante personagem. Spoiler: [spoiler] Foi difícil para os fãs não derramarem uma lágrima com o assassinato de Han Solo pelo seu filho Kylo Ren. Eu mesmo soquei o balde de pipoca, e ouvi vários chingos na sala pela traição vista.[/spoiler] E não foi só essa cena que gerou comoção. O abraço de Leia e Rey, em luto, assim como a – incrível – luta entre Kylo Ren e Rey. Spoiler:[spoiler] Afinal, pela primeira vez, uma protagonista feminina partiu pra luta com um sabre de luz.[/spoiler]