Início News ‘O Golpista do Tinder’ reacende debate sobre golpes românticos

‘O Golpista do Tinder’ reacende debate sobre golpes românticos

0
169

O recente documentário da Netflix, “O Golpista do Tinder”, trouxe à tona mais uma vez a discussão sobre a prática de golpes românticos por meio da internet, em especial aplicativos de namoro, como o Tinder. 

No caso da produção, pelo menos três mulheres foram enganadas por um suposto empresário bilionário, que conseguiu subtrair delas enormes quantias de dinheiro após conhecê-las na plataforma de encontros.

Com um esquema habilmente arquitetado, o golpista seduzia as vítimas com jantares e viagens caras e, depois de algum tempo, pedia a elas “empréstimos” volumosos sob a justificativa de estar sendo perseguido por concorrentes violentos.


Apesar de o documentário ser novo, a prática não é nenhuma novidade. De fato, as autoridades veem o fenômeno acontecer com cada vez mais frequência nos últimos anos. Segundo relatório da Comissão Federal de Comércio dos EUA, apenas em 2021, US$ 547 milhões foram perdidos com golpes do tipo. 

Como ocorrem os golpes românticos

Os golpes românticos geralmente acontecem em redes sociais ou plataformas de namoro. A vítima recebe uma solicitação de amizade inesperada ou encontra um perfil falso no aplicativo. Com o tempo, o golpista vai aprendendo suas fragilidades emocionais e, ao abusar delas, acaba ganhando sua confiança. 

Quando a vítima está totalmente convencida de que o criminoso é digno e legítimo, surgem os pedidos de dinheiro ou propostas duvidosas, muitas vezes acompanhados de chantagem emocional ou cenários mirabolantes que sensibilizam a vítima.

Após conseguir o que queria, não é incomum que o golpista simplesmente desapareça. Mas também há casos em que ele permanece ativo, de maneira mais agressiva, ameaçando expor conversas e imagens compartilhadas no decorrer do “relacionamento”.

Como se proteger desses golpes
Para se proteger contra esses golpes, há várias coisas a se considerar. Primeiramente, os usuários devem se munir de ferramentas de segurança digital para evitar que os criminosos tenham fácil acesso aos seus dados e, com isso, consigam usá-los para ganhar sua confiança.

Uma VPN para Mac ou Windows, por exemplo, é uma alternativa incrível para adicionar uma camada extra de criptografia à navegação e impedir que hackers e terceiros mal-intencionados bisbilhotem suas atividades online – especialmente quando o acesso ocorrer numa rede de Wi-Fi pública desprotegida.

Já programas antimalware oferecem um escudo adicional contra arquivos maliciosos que podem chegar até seu dispositivo através de mensagens ou e-mails infectados. Muitos criminosos usam desses documentos para roubar dados e controlar os hábitos virtuais das vítimas.

Além disso, prestar especial atenção aos detalhes durante suas interações pode ser a diferença entre cair em uma cilada ou não. Abaixo estão alguns dos principais sinais de alerta para evitar problemas do gênero em aplicativos de relacionamentos.

1 – Ausência absoluta de contas online

Embora seja perfeitamente aceitável que algumas pessoas não possuam redes sociais, uma total ausência de qualquer referência ao nome da pessoa na internet é algo suspeito. Por mais discreto que o indivíduo seja, hoje em dia é quase impossível não aparecer em pelo menos um resultado no Google. Seja em relatórios do emprego, artigos da universidade ou notícias locais, o esperado é que o nome do seu contato esteja presente em alguma parte da web.

Se o usuário pesquisar e não encontrar nada a respeito da pessoa com quem está conversando, é bom ficar de olhos bem abertos. Uma boa estratégia, nesses casos, é perguntar casualmente sobre esse fato e ver sua reação. 

2 – Uma combinação perfeita (demais)

Quando falamos de romance, todo mundo tem suas preferências e, ao encontrar alguém que preencha todos os seus requisitos, pode ser difícil resistir. Mas cuidado. Indivíduos “perfeitos” demais são um grande sinal de alerta.

Sendo bastante realista, é improvável que você encontre alguém que possui exatamente todos os mesmos interesses que você. Se a pessoa com quem está conversando parece estar sempre entusiasmada com qualquer tópico pelo qual você se diz apaixonado, fique atento. Há uma boa chance que ela está fingindo para forçar uma identificação maior com você.

3 – Aparência sempre impecável 

Se todas as fotos do seu contato são milimetricamente retocadas, sempre com boas poses e uma aparência impecável, alguma coisa não está certa. É claro que, se ele for um modelo ou influenciador digital, essa perfeição física é justificável. Mas normalmente esse não é o caso.

Para tirar a dúvida e verificar se você não está falando com um perfil falso, tente combinar uma chamada de vídeo. A reação da pessoa pode ser suficiente para perceber se você está numa enrascada ou não. 

4 – Pedidos de dinheiro

Após semanas, ou mesmo meses, de conversa, é natural que você comece a gostar da pessoa e confiar nela. É nesse estágio que os criminosos se aproveitam da vítima e começam a testar as águas para concretizar o golpe. 

Assim, atenção: por mais difícil que seja aceitar essa probabilidade, se alguém que você nunca conheceu pessoalmente lhe pede dinheiro, esse sujeito tem grandes chances de ser um golpista.

A melhor estratégia para se proteger, por fim, é ter as ferramentas certas e, acima de tudo, estar atento aos detalhes. Mantendo uma postura consciente, o usuário pode então encontrar um amor de verdade – e sem ter problemas no futuro.

Publicidade

SEM COMENTÁRIOS

Deixe um comentário