Por dentro da trilha sonora de Game Of Thrones

‘Game Of Thrones’ é um divisor de águas na história do entretenimento e uma das razões para que isso aconteça é a trilha sonora. O tema de abertura da série é amplamente conhecido e está na cabeça dos milhões de fãs. A mente por trás deste trabalho grandioso para ‘Game Of Thrones’ – incluindo o tema principal – é o compositor alemão de ascendência iraniana Ramin Djawadi, de 44 anos. Discípulo de Hans Zimmer, músico e compositor que venceu o Oscar® pela trilha sonora da animação ‘O Rei Leão’, ele criou mais de 100 partituras para filmes e séries de sucesso.

SAN FRANCISCO, CA – MARCH 23: Ramin Djawadi attends HBO’s “Game Of Thrones” Season 5 San Francisco Premiere at San Francisco Opera House on March 23, 2015 in San Francisco, California. (Photo by Steve Jennings/WireImage)

 Algumas das suas composições mais famosas são as trilhas sonoras de Westworld e de Iron Man, que lhe rendeu uma indicação ao Grammy; assim como a música de “The Dragon and the Wall”, do último episódio da sétima temporada de ‘Game Of Thrones’, com a qual ele ganhou um prêmio Emmy® no ano passado.

Djawadi compôs por intuição alguns dos temas mais memoráveis de ‘Game Of Thrones’, como “Goodbye Brother”, a melodia da família Stark. No entanto, ele também criou músicas a partir de indicações que constam nos livros do autor George R.R. Martin, como é o caso das melodias, agora icônicas, que constam abaixo:


“The Rains of Castamere”

Quando esta música toca, é muito provável que alguma coisa ruim aconteça. Pelos livros de Martin, sabemos que ela foi composta quando Tywin Lannister eliminou a casa Reyne, que tinha desafiado o poder de Tytos, pai de Tywin. A partir daquele momento, tornou-se o “hino” dos Lannister e também uma espécie de grito de guerra. Não por acaso, “The Rains of Castamere” é a melodia que toca enquanto os Frey e os Bolton esquartejam Robb Stark, seguindo as instruções dos Lannister. No Casamento Vermelho, alguns membros do grupo The National aparecem tocando esta música. A versão mais memorável é a da banda irlandesa Sigur Ros, que lhe deu um tom mais trágico.

“The Bear and the Maiden Fair”

Trata-se de uma das canções mais populares de Westeros e personagens de todas as classes sociais cantaram a música em diversas ocasiões. Este tema aparece desde a primeira temporada em cenários variados, de Winterfell a King’s Landing. A letra fala de um urso que resgatou uma donzela e ela jurou nunca se aproximar de um homem que não fosse um cavalheiro. A história tem muitos reflexos na série. O mais mencionado, segundo os fãs, é na relação entre Brienne e Jaime. Embora fosse mais fácil comparar Brienne com a donzela e Jaime com o urso, existe uma teoria que diz que é o contrário. Isso ganha força quando os homens de Vargo Hoat cantam esta canção para Brienne depois de a atirarem para lutar com um urso, antes de ser resgatada por Jaime. A banda The Hold Steady e o vocalista do Snow Patrol interpretaram a canção na série.

Jenny of Oldstones

Na primeira vez, escutamos a música na (surpreendente) voz de Podrick, diante da chaminé no segundo episódio da oitava temporada. Depois escutamos de novo durante a exibição dos créditos do mesmo episódio, interpretada por Florence and the Machine. Trata-se de uma canção que aparece várias vezes nos livros e que fala de Jenny de Oldstones, um personagem que viveu muito antes dos acontecimentos da série e cuja vida parece estar relacionada com a profecia “Azor Ahai”, ou o “Príncipe que foi Prometido”, mas também tem relação com Lyanna Stark. Duncan Targaryen, um ancestral de Daenerys e Jon, abandonou sua mulher após se apaixonar por Jenny. Ela era amiga de uma anã que morava no bosque e tinha características semelhantes as dos Filhos da Floresta. Embora os livros não falem muito mais sobre Jenny nem Duncan, a canção diz que ela “dança entre fantasmas”, o que muita gente interpreta como um mau presságio para o desfecho da história. Isso, claro, é simplesmente uma mera especulação a partir de uma canção composta por Djawadi, com letra completa de D.B. Weiss e David Benhioff. O clipe oficial pode ser visto abaixo:

Power Is Power

É resultado de uma colaboração entre a cantora norte-americana SZA, o canadense The Weeknd (que se declarou grande fã da série) e o rapper Travis Scott. Desde o anúncio de que a trilha sonora For The Throne teria uma colaboração entre estes três artistas, a expectativa era grande e o resultado não decepcionou. Além da ótima reação da crítica, o videoclipe se tornou um dos mais vistos do canal de GAME OF THRONES no YouTube. Trata-se de uma música pop cheia de energia e dividida em três partes: a primeira gira em torno de Jon Snow, a segunda é sobre Daenerys Targaryen e a última sobre os White Walkers. Os artistas não confirmam, mas o título pode ter sido inspirado em uma conversa entre Cersei e Little Finger durante a segunda temporada da série, em que ele lhe diz: “conhecimento é poder” e Cersei responde contundentemente: “poder é poder”. O clipe está disponível no Youtube e pode ser visto abaixo:

The Long Night”

Uma das peças musicais mais memoráveis da série faz parte do episódio mais longo de todos: o da Batalha de Winterfell. Ramin Djawadi criou a partitura para esse episódio como se fosse para um filme de terror. Por isso, a música faz parte do suspense, dos momentos alegres e também dos momentos de sofrimento pela morte de um personagem querido. O golpe de mestre da música deste episódio ocorre nos últimos dez minutos. Quando tudo parece terminado, uma peça de piano guia o público na tensão de ver (quase) todos os personagens perto da morte. A melodia é o acompanhamento perfeito para o que acontece depois. Nesta composição, Djawadi se inspirou em outra de suas criações, a trilha da série em que o suspense é tudo: Westworld.

A trilha sonora de GAME OF THRONES está disponível na íntegra em uma playlist do Spotify, que pode ser acessada através do link:https://open.spotify.com/user/spotify/playlist/37i9dQZF1DXdnZT5DhATDx.

Deixe sua opinião!

INSTAGRAM

SE LIGA

Os 10 melhores filmes de 2018

A cada ano que passa somos surpreendidos com filmes cada vez melhores. Muitos, claro, já são aguardados por serem alguma continuação. Outros são ótimas...

Os filmes mais esperados de 2019

Primeiro dia do ano, mas já tem gente fazendo planos futuros pras estreias que acontecerão no cinema. Algumas delas, aguardadas desde 2018! Confira nossa lista...