Alguns jogos simplesmente não caem no gosto do público, ou apesar de serem bons, acabaram por serem os últimos de suas franquias. Em alguns casos, novos jogos ficam tão diferentes dos anteriores que os fãs perdem completamente a fé em tais franquias. Vejamos agora mais 3 jogos que acabaram por ser os últimos de suas séries.

Magical Quest 3 – Super Nintendo

The Magical Quest é um jogo da Capcom estrelando Mickey Mouse, para o Super Nintendo e Game Boy Advance. Nele, Mickey pode pular sobre os inimigos para deixá-los tontos, e após isso, pode pegar esses inimigos e arremessar em outros para atacar. Além disso, é possível trocar de roupas durante a aventura, e cada uma dá uma nova habilidade. Você deve coletá-las durante o jogo e pode trocá-las quando quiser, adicionando uma estratégia ao jogo.

A versão para Game Boy Advance também adicionou Minnie. Em seguida, veio The Great Circus Mystery para o Super Nintendo, Mega Drive e Game Boy Advance, e ele segue a mesma fórmula do primeiro, apesar de só a versão do GBA ser chamada de Magical Quest 2.

O jogo aprimorou tudo o que havia no primeiro, mantendo a ótima jogabilidade e com novas roupas para usar, além de um modo multiplayer cooperativo que deixava o jogo mais divertido. O último jogo, Magical Quest 3, foi lançado no Super Nintendo em 1995 apenas no Japão, chegando ao ocidente no Game Boy Advance somente em 2004. Agora, no lugar de Minnie, podemos escolher entre Mickey e o Pato Donald, mas agora as roupas oferecem diferentes habilidades para cada um deles.

No geral, o jogo é muito divertido e os desenvolvedores parecem ter colocado mais esforço ainda neste último jogo, o que faz a gente se perguntar por que a Capcom nunca mais investiu na franquia.

F-Zero GP Legend – Game Boy Advance

F-Zero nasceu no Super Nintendo como uma respeitável franquia de corrida com luzes reluzentes pelo cenário fazendo parecer um cassino de Las Vegas, que usava e abusava do recurso de Mode 7 do console. O jogo também ganhou versões em 3D muito boas no Nintendo 64 e Gamecube, até retornar no Game Boy Advance com F-Zero: Maximum Velocity, que também foi bem recebido. Infelizmente, as coisas começaram a desandar com F-Zero GP Legend, lançado também no Game Boy Advance.

Baseado numa série em anime que estava sendo exibida na época, o jogo agora contém um modo história que não é muito interessante. Mas o grande problema é o “efeito pinball” que você sofre. Ao bater nas laterais das pistas, você é frequentemente jogado para o outro lado da pista e fica batendo diversas vezes até conseguir se recuperar.

Apesar de que isso acontecia nos jogos anteriores em altas velocidades, isso acontece de forma muito mais agravante neste título, que também não é ajudado pelo design das pistas, que deixa muito a desejar em relação aos jogos anteriores. E então veio F-Zero Climax, também no Game Boy Advance, mas lançado apenas no Japão. O jogo melhorou os gráficos e não tem os mesmos problemas de F-Zero GP Legend, mas a Nintendo nunca o lançou fora do Japão, o que faz parecer que ela perdeu a fé na série.

Kyle_Travers_-_Final_Fight_Streetwise_wallpaper Últimos jogos de 3 franquias que caíram no esquecimento. O que aconteceu?

Final Fight Streetwise – PlayStation 2/Xbox

Final Fight começou como uma excelente série de jogos de briga de rua nos fliperamas. Apesar de uma versão um pouco capada no Super Nintendo, seguida por uma ótima versão no SEGA CD, o jogo tinha muitos fãs e recebeu duas sequências: Final Fight 2 e Final Fight 3, ambas lançadas no Super Nintendo, e melhoraram ainda mais a fórmula do primeiro game. Até Mighty Final Fight no Nintendo 8 bits ficou bem legal.

Então, veio Final Fight Revenge no Sega Saturn, que nunca foi lançado fora do Japão. O jogo se tornou um game de luta mano a mano em 2D e apesar de não ser dos melhores, ainda tinha seus fãs. A coisa ficou feia mesmo foi com o lançamento de Final Fight Streetwise para o PlayStation 2 e Xbox. Você agora joga com Kyle, irmão de Cody do primeiro jogo. Cody foi sequestrado e Kyle precisa salvá-lo, seguindo uma história para um jogador num ambiente 3D, o que ficou muito diferente do combate em 2D ao estilo arcade dos jogos anteriores.

O jogo passou a ser sombrio e “badass”, o que parece mais com GTA do que Final Fight. É possível até atacar pessoas inocentes, mas isso faz seu “nível de respeito” cair, o que fará outras pessoas quererem te atacar. Há várias missões secundárias ajudando pessoas, que te ajudam a ganhar respeito também. Infelizmente a jogabilidade é meio atrapalhada e a câmera também não ajuda muito. Há também um modo arcade, que tenta deixar o jogo mais ao estilo dos originais, mas não chega nem perto da qualidade deles. Os gráficos não impressionam, e mesmo com o primeiro Final Fight estando presente em forma emulada, a emulação é terrível e roda a cerca de 20 quadros por segundo. Após este game, a Capcom nunca mais lançou outro Final Fight.

E você, quais jogos acha que não fizeram justiça às suas franquias? Ou quais jogos, como Magical Quest 3, ficaram bons mas nunca mais vimos nada de suas franquias depois disso?