Resenha | Mulher-Maravilha: Sementes da Guerra, de Leigh Bardugo

Título: Mulher-Maravilha: Sementes da guerra
Autora: Leigh Bardugo
Tradução: Mariana Serpa
Editora: Arqueiro
Especificações: Brochura | 400 páginas

 

 

Resenha “Mulher-Maravilha: Sementes da Guerra”


“Mulher-Maravilha: Sementes da Guerra”, conta um capítulo da vida da Princesa Diana, antes de ela ser a heroína que conhecemos. Nessa passagem Diana é adolescente, por volta de 16 ou 17 anos.

Esse detalhe é importante manter em mente enquanto se lê o livro, porque tem momentos em que a história fica um tanto bobo. A autora detalha pensamentos e diálogos sobre aparência, estilo, brincadeiras de verdade ou consequência. A primeira reação é “revirar os olhos”, mas daí se pensarmos que se trata de uma adolescente conhecendo o mundo dos homens, dos mortais, ok. Aceitável.

O ponto positivo de narrar fatos dessa fase da vida da personagem é a sua personalidade e conflitos pessoais. A Diana que acompanhamos no livro é impiedosa, ambiciosa e ingênua. Quer provar para suas irmãs que ela também merece estar entre as Amazonas, quer o respeito da sua mãe. E para isso, chega a ser orgulhosa, incosequênte, como qualquer adolescente. E é assim que ela embarca nessa aventura secreta.

O feminismo “natural” da personagem é lindo. Eu fico emocionada com a Mulher-Maravilha e a autora explorou isso muito bem. O choque dela ao entrar em contato com os mortais, seus questionamentos e análises são perfeitos. Obrigada, Leigh Bardugo! Aliás, excelente esse livro ter sido escrito por uma mulher. Acho que nem teria comprado se fosse diferente.

“Mulher-Maravilha: Sementes da guerra” é bom?

A narrativa é envolvente, com capítulos curtos, bem objetivos e cheios de ação. Tem sempre alguma coisa acontecendo, só o início é um pouco arrastado. Antes da metade do livro eu já estava com aquela curiosidade constante para saber o que vinha depois.

Quanto a história em si, é boa. Tem bastante suspense, reviravoltas e tensão. Diana tem uma missão aparentemente impossível, que no decorrer dos acontecimentos parece simples demais até, e de repente tudo muda, umas duas vezes. E na última mudança, confesso, eu não curti muito. Estava melhor até o último plot twist. Apesar disso, não desmereceu a história como um todo.

Indico para quem gosta da personagem, para as que não a conhecem muito bem, para quem se interessa por discussões de gênero e raça, etnia e mitologia grega. Tudo isso aparece no livro, algumas de forma mais sutil, outras escancaradas. O livro é bem mais do que eu esperava!

Quem aí já leu ou está com planos de ler esse livro, conta nos comentários a sua opinião!

Daniela Mattoshttps://estacaonerd.com.br
Apaixonada por Ficção Científica, indie rock e séries. Louca por livros, Whovian. Aguardo ansiosamente pela minha vez de fazer companhia ao louco em sua caixa azul.

Deixe sua opinião!

INSTAGRAM

AS MAIS LIDAS

Crítica | O Sol Também é Uma Estrela

Comédias românticas tendem a seguir uma estrutura narrativa básica. Porém, temos exceções como (o ótimo) 500 Dias Com Ela, filme que revolucionou...

Ready Player One: OASIS beta | Testamos o game em realidade virtual baseado no filme; confira nossa análise!

Olá Nerds! O blockbuster de Steven Spilberg, Ready Player One, estreou no mundo todo e está fazendo grande sucesso. O Estação Nerd já assistiu (veja...

A Família Adams | Animação ganha cartaz e data de estreia do trailer; Confira!

A animação de A Família Adams teve seu primeiro pôster divulgado pelo twitter do IMDb. O site ainda revela que o primeiro trailer será revelado...