“The Islands and the Whales” (As ilhas e as baleias em tradução literal) documentário de 2015, dirigido por Mike Day, mostra o controverso habito de caça a baleias nas ilhas Faroé, um arquipélago de 18 ilhas vulcânicas no Atlântico Norte entre Noruega, Islândia e Escócia, teve um problema peculiar durante a sua produção.

O filme nos dá uma imersão visual única dos penhascos oceânicos além de uma visão sensível sobre os trabalhadores das ilhas que dependem dessa prática lamentável para sobreviver. Mas durante a produção Day percebeu que ele não entregaria uma sensação próxima da real se o som não acompanhasse a beleza das cenas capturadas.

Com isso em mente ele contratou a Skywalker Sound, empresa de George Lucas, para criar um microfone multi direcional que permite que Day mapeie completamente a esfera de som – inclusive os sons que surgem acima e abaixo do microfone, criando uma nova experiência em áudio espacial.

Graças a um software criado pela empresa Harpex foi possível traduzir essas ondas de áudio para um formato especifico. “As ilhas e as Baleias” é o primeiro filme a usar essa tecnologia nos cinemas. A sala é equipada com 128 alto falantes, incluindo canais verticais, que permite a audiência a se sentir praticamente onde as cenas foram produzidas.

“Essa técnica é mais uma ferramenta que permite transportar audiências em todo o mundo para a tela.” – Disse Day. “É maravilhoso ouvir as reações do público, muitos não sabem que tipo de sistema está sendo usado, mas sentem o efeito, gerando mais uma razão para ver o filme na telona e isso é sempre uma coisa boa!”

Titio Lucas e seu time mais uma vez revolucionando como fazer cinema. Agora é esperar pra ter algumas sessões no Brasil.