VOCÊ SE LEMBRA MESMO DOS JOVENS TITÃS?

Veja nossos últimos stories

Assim como você, eu também só assisti o desenhos dos Jovens Titãs quando era mais novo, e tinha esquecido completamente de todo e qualquer acontecimento do desenho. E cara, ele é bem mais sombrio do que eu lembrava, tendo muita coisa e muitos vilões que entraram no início para se desenvolver bem depois.

Até mesmo toda a parada do Robin virar o X e depois ainda virar aprendiz do Slade eram coisas que eu achava que só rolavam bem mais pra frente, mas não, acontece logo na primeira temporada, que é a que a gente vai olhar hoje.

Uma boa parte da temporada, como era algo mais de teste, se resume nos Titãs enfrentando alguns vilões, vencendo e voltando pra base pra esperar novas misssões aparecerem. Só lá pro final que tem coisa mais séria, mas já já a gente vê isso melhor, porque o primeiro episódio já introduziu alguns personagens que se tornam muito importantes depois.

O Slade tinha contratado 3 estudantes da academia HIVE para irem atrás dos Titãs e acabar com eles. A academia HIVE é uma academia de formação de vilões liderada pelo Irmão Sangue, que é mais um vilão que aparece no futuro. E dentre esses 3 tem a vilã Jinx, que acaba tendo um lance com o Ciborgue depois.

Mas beleza, o episódio acaba com os heróis ganhando e pronto. Em seguida chegou a hora de conhecer a Estrela Negra, mais conhecida como a irmã da Estelar, que é exatamente que nem a Estelar, só que tem cabelos pretos. Essa realmente é a principal diferença delas.

A Estrela Negra foi pra terra só pra se disfarçar da própria irmã e fazer com que a polícia espacial lá quisesse prender a Estelar ao invés dela. Óbvio que o plano não da certo, mas é um bom episódio pra mostrar que a Estelar gosta de verdade do Robin, mesmo as vezes não parecendo.

- Advertisement -

E agora rola a maior briguinha que já teve no grupo, que foi quando o Robin e o Ciborgue erraram um ataque em dupla, brigaram e o robozão foi embora pra longe, só voltando bem no finalzinho para ajudar seus amigos a vencer os vilões, que tinham sido mandados pelo Slade.

O episódio em si é bem chatinho, a única parte legal é ver um desenvolvimento do Exterminador, do Slade, que começa a encher cada vez mais o saco dos Titãs e fazer de tudo para acabar com eles. E ele tava tão empenhado nisso, que consegue mais uma dupla se voltar contra os Titãs.

Os vilões do próximo episódios são uma dupla de irmãos que se chamam de Relâmpago e Trovão, que são seduzidos pelas palavras do Slade e começam a fazer tudo pegar fogo. Mas, graças ao poder do amor e unidos, eles criam a chuva para apagar o fogo. E já que em cada episódio tem algo do Slade, nesse aqui o Robin nota que o vilão realmente está atrás deles.

Finalmente temos um episódio sem o Exterminador, que nem é um episódio tão legal assim, mas tem uma cena bem bonitinha de um menino que tem uma prótese de mão e vê no Ciborgue uma figura pra se inspirar. É fofinho, mas fora isso o episódio não desenvolve nada, só mostra que o Ciborgue tem que trocar as suas pilhas de vez em quando.

Um dos vilões que eu sempre gostei desse desenho era o Trigon, que é o pai da Ravena, que finalmente aparece no meio dessa primeira temporada da série. Depois de ter meio que uma briga interna com si mesma, a Ravena se tranca no mundo mágico lá dela, fazendo com que o Mutano e o Ciborgue vão atrás dela e tenham que ajuda-la a se entender para unir suas forças e vencer seu pai, pelo menos por enquanto.

A aventura do dia seguinte introduz um vilão daora, mas que teve seu potencial desperdiçado no fim das contas. Ele acaba só transformando o Mutano, o Robin e o Ciborgue em marionetes, e fica controlando o corpo real dos meninos. A Ravena e a Estelar trocam de corpos e acabam se entendendo melhor no fim das contas, estreitando seus laços de amizade.

E se tem um personagem que eu não sou nem um pouco fã, é o Aqualad, que pra mim não passa de um menor aprendiz do Aquaman, só que bem mais magrelo e sem graça. Mas, pelo jeito, a Ravena ficou caidinha por ele, deixando o Mutano com ciúmes e passando o episódio inteiro disputando com o menino peixe.

O resto da trama é bem genérica, com os Titãs trabalhando ao lado do Aqualad para vencer o vilão Tritão, que na verdade eram 3 Atlantianos cheios de ego e que buscavam um tanto mais de poder. O pior é que eles brigam entre si e acabam fazendo o trabalho pros heróis né. Sim, eu sei que é bobo, mas é o que rola.

Mas pra compensar esse episódio mais fraquinho, a gente teve um episódio chamado de Máscaras. Nessa trama o Slade está atrás de um chip, que os Titãs não podem deixar ele pegar. E para se aproximar do Extermiandor sem revelar que é o Robin, o menino prodígio se torna o X, que é meio que um anti-herói criado direto pros desenhos, que não existia nos quadrinhos.

O X usa até mesmo hologramas pra fingir que ele não é o Robin, mas no fim a Estelar descobre tudo sozinha. Tem até mesmo uma incrível luta com o Robin achando que venceu o Slade, mas que no final era só um robô explosivo.

E mesmo que o X só tenha aparecido mais rapidamente aqui, a relação do Robin com o Slade vai ser muito bem desenvolvida ainda nessa temporada. Mais pra frente até o próprio X volta para outras missões, de tão popular que o personagem ficou. Só por curiosidade, esse personagem ficou tão amado pelos fãs que a DC resolveu dar um espacinho pra ele no mundo dos quadrinhos!

Mas beleza, depois disso tudo a gente tem o episódio que me fazia ter pesadelos quando criança, que é toda a trama do vilão Mad Mood, que parece uma versão deep web dos Beatles, e que usa várias tecnicas de hipnose para manter os Titãs presos lá dentro da sua casa.

Só que, depois, mais pro final, o Robin nota que tudo era só uma ilusão e consegue se guiar ali nas estruturas até descobrir que o vilão era, na verdade, um velho maluco controlando um computar. Que nem aquela sua webnamorada. Toma cuidado em.

Mas beleza, agora a gente tem um episódio duplo que conta a história de quando o Slade acabou enganando os Titãs com uma bomba falsa, que aparentemente não fazia nada, mas colocou nano-robôs no sangue dos heróis, que podia fazer eles sofrerem só apertando um botão.

Por isso o Robin se torna um aprendiz do Slade, para que o vilão não tirasse a vida dos seus amigos, o que eu acho que é algo que todo mundo faria. A parada fica tão tensa que o Robin acaba dando um tiro laser na Estelar e batendo em todos os seus amigos para que eles não morressem pelas garras do mal do Exterminador.

Tentando entender melhor o caso, os Titãs olham o sangue do Mutano e notam esses nano-robôs que o Slade colocou neles. Com isso eles acabam conseguindo rastrear as paradas todas lá, e dão de cara com o Slade e o Robin brigando.

E para poder chantegear o seu pseudo-chefe, que queria controalr o Robin a qualquer custo, o menino prodígio se infecta ali com os robôs no sangue, pra se alguém fosse se dar mal, o Slade perderia o que queria também.

Para que o pior não rolasse, o vilão desiste de matar todos os heróis e joga fora o controle. Os Titãs fogem de volta pra base juntos, o Slade claramente vai voltar em algum momento para criar mais caos e os nano-robôs são drenados do sangue da galera usando umas máquinas doisas lá que o Ciborgue criou.

E sim, esse é o melhor episódio da temporada, que na verdade é o único que realmente tem história e mostrou que os Jovens Titãs ainda tinham muito potencial e muita coisa pra ser explorada.

O resto dos episódios é bem mais ou menos, com umas tramas bobinhas, mas acho que foram feitos só pra ir introduzindo novos personagens sem parecer que entrou muita gente de uma vez só né.

Pra mim a temporada devia acabar aí, mas a Cartoon fez um episódio extra extremamente bobo, com uma trama super básica sobre um carro do Ciborgue e blablabla, absolutamente nada de importante acontece.

Eu não sei se era pra ter saído antes, se já era pra ser da segunda temporada ou se foi só um tapa buraco, mas pra mim o episódio final é o do Robin aprendiz do Slade, porque claramente era essa a intenção né.

Jovens Titãs é um desenho muito bom, que infelizmente foi cancelado depois da sua quinta temporada. Então algumas pontinhas continuaram soltas. Eles até voltaram lá em um filme ao lado dos Jovens Titãs em ação, mas nada que tenha sido tão marcante.

Lucas Mertenshttps://estacaonerd.com
Eu não sou especialista em nada, mas gosto de criar conteúdo sobre tudo que me diverte. Então seja como for, a ideia é sempre ver o lado bom das obras ao invés de focar só nos defeitos. É basicamente isso mesmo!

Deixe sua opinião!

Instagram

AS MAIS LIDAS

Duna – Confira a crítica do filme (Copy) As Passageiras – Confira a crítica do filme Maya e os 3 Guerreiros- Confira a crítica da animação Uncharted – Confira o primeiro trailer do filme Duna – Confira a crítica do filme Mês do Horror – Qual filme marcou sua vida?