Quentin Tarantino nasceu em 27 de março de 1963 na cidade Knoxville no estado americano do Texas, tem o cinema correndo em suas veias desde o cordão umbilical, é filho do cineasta e músico Tony Tarantino e de Connie McHugh professora primária apaixonada por cinema.

Quentin ganhou seu nome por inspiração no personagem de série de televisão ocidental “Gunsmoke” criado por Burt Reynolds.

Sua primeira produção foi no final da década de 80 quando escreveu,produziu,dirigiu e atuou no longa metragem “My Best friend Birthday,1987”, filme que foi supostamente perdido em um incêndio, a partir dai o ator, diretor, produtor e Roteirista lançou diversas produções de sucesso.

Uma quantidade absurda de sangue, trocas de tiros, e cenas de lutas que muitas vezes chegam ao cômico são marcas dos seus filmes, seus personagens normalmente apresentam características violentas e inúmeros  assassinatos, Tarantino gosta sempre de utilizar referências cinematográficas de outros diretores em suas produções.

Em sua homenagem o Estação Nerd separou os seus 5 melhores filmes, claro, em nossa humilde opinião para vocês.

 

Django Livre (2012)

O filme que arrecadou até o momento atual sua maior bilheteria,um faturamento total de US$413,00 milhões de dólares.

Tem o posto de filme mais preciso, organizado e revolucionário de Tarantino.

Dividido em três muito bem definidos atos, mais um prólogo e um epílogo, o filme deu merecidamente ao diretor o seu segundo Oscar.

Bastardados Inglórios (2009)

Neste filme, Tarantino consegue um equilíbrio no desenvolvimento das tramas que realmente se comunicam para completarem-se em sentido, e emoldurado como costume por uma estilizada violência. A atuação do ator Brad Pitt, como o canastrão e violento líder militarista merece destaque, assim como o trabalho incrível  do ator alemão Christoph  Waltz na pele do coronel Hans Landa, que lhe rendeu inúmeros prêmios, incluindo o Oscar na categoria de melhor ator coadjuvante.

Kill Bill: Vol.2 (2004)

O filme é divido em duas partes, em uma busca de vingança de sua protagonista defendida por unhas e dentes por sua intérprete Uma Thurman.

Se no primeiro volume, a história estava mais preocupada em jorrar sangue nas cenas de luta, na sua sequência o roteiro repleto de diálogos marcantes predomina de forma inteligente e atraente como de costume em suas obras, e nos conta a  trajetória e historia de vida da sua personagem central Bride.

Pulp Fiction: Tempos de Violência (1994)

Este foi o maior responsável por colocar Quentin Tarantino nos holofotes de Hollywood.

Com um roteiro alinear , escrito em parceria com seu amigo Roger Avary, faz uma impressionante volta em si mesmo, o filme conta uma história típica da literatura “pulp”, que mistura quadrinhos , violência e tramas do submundo, circulando entre três tramas principais que se conectam ao final do filme.

Com orçamento de US$ 8 milhões de doláres, faturou US$213  milhões apenas nos cinemas.

O Filme foi vencedor da Palma de Ouro em Cannes, deu a Tarantino o Oscar de melhor roteiro original, além de diversos outros prêmios consagrados.

 

Cães de Aluguel (1992)

Primeiro longa metragem que levou o nome de Tarantino como diretor, foi gravado de forma independente e com orçamento limitado, outro filme não-linear, com ótimos diálogos e um elenco excepcional encabeçado por Harvey Keitel. Sua primeira cena já mostra a inventividade do roteiro em uma discussão sobre o real sentido da música da artista Madonna “Like a Virgin”, sem economizar nas criticas, lançando comentários em suas falas sobre as gorjetas destinadas as garçonetes , ao salário minimo, a hipocrisia e ao governo americano.

O filme levou alguns prêmios, como o Independent Spirit  de Melhor ator coadjuvante,Cavalo de Bronze, e NME para melhor filme.