qua, 7 dezembro 2022

Análise completa de dois filmes da 46ª edição da Mostra Internacional de São Paulo; Confira!

Publicidade

A 46ª edição da Mostra Internacional de São Paulo reúne 223 filmes de 60 países que serão exibidos em um período de 14 dias. Segue abaixo a nossa análise sobre algumas das produções que vimos nessa segunda semana do evento:

Lobo e Cão

Vivem com a mãe e com a avó. Ana percebeu cedo que as raparigas têm tarefas distintas das dos rapazes. Através da sua amizade com Luís, o seu melhor amigo que tanto gosta tanto de vestidos como de calças, Ana questiona o mundo que lhe foi prometido.

É um filme bastante vago, ele trabalha o cotidiano desses personagens, Ana e Luís, de maneira que vamos descobrindo seus desejos, medos e dificuldades no lugar em que moram. Infelizmente o resultado é fraquíssimo, o ritmo é bastante lento e isso não ajuda a narrativa do filme, que apresenta pouquíssimo conteúdo.

Publicidade

Ele apresenta essa temática LGBT+ e combina os personagens com essa mistura de luta e descoberta sexual, mas é tudo tão desinteressante que não consegue se sustentar. Únicas coisas que salvam são a trilha sonora e o seu visual. A bonita paisagem do cenário ajuda para que o público aprecie as bonitas filmagens ao longo do filme. A trilha sonora eleva alguns poucos bons momentos de câmera lenta e montagem interessante.

Lobo e Cão é uma experiência frustrante, acaba deixando seu telespectador no tédio. Apresenta algumas boas vantagens por conta da direção, mas seu roteiro é fraco e pouco inspirado. Seus personagens acabam que desinteressantes e as tentativas de conexão falham.

Nota: 2/5

Perlimps

A jornada de aventura e fantasia de Claé e Bruô, agentes secretos de reinos rivais. Eles precisam superar suas diferenças e unir forças para buscar os Perlimps, criaturas misteriosas capazes de encontrar um caminho para a paz em tempos de guerra.

Depois do surpreendente “O Menino e o Mundo”, indicado ao Oscar de animação em 2016, Alê Abreu chamou a atenção do público com sua criatividade em torno de um filme tão silencioso e diferente do habitual. Agora, em Perlimps, temos a fantasia de forma mais direta, tanto na animação quanto nas ideias apresentadas da história.

Ligadas diretamente as situações atuais do mundo moderno, desde a polarização do país, desmatamento e abandono da natureza. A dupla de protagonistas passa justamente essa ideia de descoberta, curiosidade e indignação com tudo o que tem sido feito pelo temidos “gigantes”, principais antagonistas do filme. Claé e Bruô funcionam de maneiras opostas, porém bastante parecidos. Enquanto um é mais ágil, apressado, cheio de tecnologias, mistura de raposa e lobo, o outro é paciente, possui força de um urso, e é ligado aos ensinamentos da paz de espírito. São personagens que se completam, trocam ensinamentos e aprendem novos.

Publicidade

A animação é uma das mais belas que o audiovisual brasileiro já entregou, sabe aquela sensação de toda cena é um quadro pintado? Aqui acontece isso. Mesmo que a história demore a ingressar, trazendo até uma dificuldade para as crianças de entender tudo aquilo, a bonita animação consegue trabalhar a imersão. Todo detalhe, luz, cor é lindíssimo, seus personagens são admiráveis de se ver. Quando ocorre o contraste com o final, vemos a real diferença entre fantasia e mundo real.

A ideia no final é totalmente justificável, traz um sabor a mais para o filme. Talvez uma segunda assistida consiga clarear mais a ideias do longa. Mas funciona inicialmente e casa com essa construção da fantasia, se permanecesse apenas aquilo, ainda sim seria aceitável, mas o filme traz mais uma camada. Pode ser considerado mais um obstáculo para imergir o público infantil, porém boa intenção não falta.

Perlimps é uma das experiências visuais mais bonitas de 2022, merece ser visto no cinema. A junção da animação, trilha sonora e personagens traz algo agradável de se ver, apesar da história não ser totalmente palpável. Uso com muita eficiência uma técnica simples de animação e transforma em algo convidativo aos olhos.

Nota: 3,5/5

CONFIRA AQUI ALGUMAS CRÍTICAS DAS PRODUÇÕES VISTAS NA PRIMEIRA SEMANA DO EVENTO!

Publicidade

Destaque

Deixe um comentário