qua, 22 maio 2024

Crítica | A Mãe

Publicidade

Para comemorar os dias das mães a Netflix lançou o filme de ação A Mãe, estrelada por Jennifer Lopez (Case Comigo). No filme vemos uma assassina treinada saindo do seu esconderijo onde vive para proteger a filha que nunca conheceu de criminosos em busca de vingança.

A diretora Niki Caro (Mulan) teve a chance nas mãos de dirigir um ÓTIMO filme de ação. Todos os elementos estavam a favor da diretora: Jennifer Lopez estrelando, uma trama sombria que (na teoria) mostra até onde uma mãe iria para proteger sua filha. Uma oportunidade de aproveitar as habilidades de excelente dançarina de J-Lo para criar cenas de ação, onde ela iria distribuir socos e chutes, em meio a tiroteios e cenas bem coreografadas. A Mãe tinha tudo para ser um filme épico. Pena que a diretora desperdiça o potencial da sua protagonista e prefere focar suas fichas numa trama enfadonha, sobre vingança.

Nenhum dos atributos citados no paragrafo anterior é bem desenvolvido. As cenas de ação, são mal elaboradas e são editadas do pior modo possível, dificultando o entendimento do embate. A montagem corta as cenas de ação a cada dois segundos e o que deveria acrescentar em intensidade, torna as cenas enfadonhas. As cenas mais empolgantes, são as perseguições de carro e alguns tiroteios de longa distância. Muito pouco para uma produção, que pretende criar tensão com as situações apresentadas. Já a história, é a junção de diversos filmes de ação em um só. Pessoas mexem com a filha de uma agente treinada (mesma trama de Busca Implacável), que é uma verdadeira lenda e que irá sair de sua aposentadoria (mesma ideia de John Wick) para salvar quem ela mais ama (mesma ideia de qualquer filme de ação dos anos 90).

Publicidade

Os pontos mais positivos são referentes ao elenco: Gael García Bernal (Tempo) encarna um vilão que é caricato, porém divertido. J-Lo e Lucy Paez (As Férias Loucas de Barb e Star) possuem uma química esmagadora, o que consegue dar um respiro a trama burocrática deste filme de ação que nunca emplaca.

A Mãe tenta ser sério e profundo em meio a um roteiro desinteressante e cenas de ação não convencem. O filme consegue apenas ser chato. O resultado é ruim, mas poderia ser bem pior se não fosse seu talentoso elenco, em especial a J-Lo. Nem a MÃE mais mais devota conseguiria salvar esse filme do fracasso completo.

Publicidade

Publicidade

Destaque

Crítica | Uma Ideia de Você

Quando refletimos sobre o estado atual do cinema, é...

Crítica | Fúria Primitiva

O jovem ator britânico Dev Patel continua produzindo bastante...

gamescom latam panorama brasil apresenta 40 jogos brasileiros

A gamescom latam anuncia a lista dos 40 jogos...

Sweet Tooth | Última temporada ganha tocante trailer oficial; Assista!

A Netflix revelou o primeiro trailer oficial da última...
Hiccaro Rodrigues
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios. Contato: [email protected]
Para comemorar os dias das mães a Netflix lançou o filme de ação A Mãe, estrelada por Jennifer Lopez (Case Comigo). No filme vemos uma assassina treinada saindo do seu esconderijo onde vive para proteger a filha que nunca conheceu de criminosos em busca...Crítica | A Mãe