Crítica | Doutor Sono

Quando a adaptação de Doutor Sono foi anunciada, os adoradores de Stephen King ficaram divididos. De um lado os que temiam que a obra não fosse bem representada no cinema, assim como O Iluminado. De outro os empolgados justamente em ver a obra descendente de um dos maiores clássicos de King! Pra quem não sabe, Stephen King reprova a versão cinematográfica de O Iluminado (1977), adaptado por Stanley Kubrick e estrelado por Jack Nicholson em 1980. Mas acredito que, em Doutor Sono, King não terá do que reclamar.

O filme tem como base o livro homônimo lançado em 2013 e conta a história de Danny Torrance justamente no ponto após terem escapado do Hotel Overlook. No início do filme, Danny, ainda criança e muito traumatizado pelas acontecimentos recentes, é muito assombrado pelo Hotel e precisar aprender a lidar com seus traumas e com sua Iluminação.

Já adulto, Danny, interpretado pelo excelente Ewan McGregor faz da bebida seu refúgio. Este ponto é realmente fundamental para os dois filmes. Em o Iluminado (Kubrick), o pai de Danny só é tomado pela bebida em uma das cenas, diferente do livro onde o alcoolismo é seu maior mal. Agora, no filme, um Danny alcoólatra é apresentado e assim como no livro, a bebida é chave para o crescimento do personagem e é explorado em todas suas fases de forma bem fiel.

Ewan McGregor

Quando as coisas começam a entrar no eixo na vida de Danny, ele é “encontrado” por Abra Stone (Kyliegh Curran), jovem que também tem uma Iluminação tão poderosa quanto a do próprio Danny. Assim, ela se torna um alvo do Verdadeiro Nó, grupo liderado por Rose – a Cartola (Rebecca Ferguson), e que se alimentam de iluminados.

É aí que a trama realmente toma seu caminho. Infelizmente para alguns o filme se torna um pouco lento, mas a construção da narrativa, do suspense e dos detalhes se faz necessário, e acredite, nenhuma cena deve ser descartada. Tanto é, que cenas como a do “garoto do beisebol” (Jacob Tremblay) recheada de horror e selvageria é o extremo oposto das cenas do hospital para doentes terminais, que, por mais tristes que sejam, nos fazem refletir.

O grande trunfo de Doutor Sono é saber unir em visual, conceito, ambientação e trilha sonora as referencias de O Iluminado. Sempre há um detalhe ou uma parte toda do prequel neste filme, ainda mais com a melhora da narrativa e das pontas soltas ou cenas “meio sem porque” no filme de Kubrick que aqui são amarradas e/ou corrigidas.

Abra x Rose

É um filme de qualidade que tem começo, um longo meio e um final bem articulado. Possui cenas incríveis, principalmente as que envolvem Abra e Rose. Talvez sim, seja uma das adaptações mais fiéis a obra de King e fecha com maestria sua obra prima.

Por fim, devemos lembrar que “O mundo é um lugar faminto, um lugar perigoso….”

Nota
Uillian Magelahttps://estacaonerd.com
Co-Fundador do Estação Nerd. Palestrante, empreendedor e sith! No momento, criando meu sabre de luz para cortar a lua ao meio. A, SEMPRE escolha a pílula azul. Não faça como eu!

Deixe sua opinião!

INSTAGRAM

AS MAIS LIDAS

Os 10 melhores filmes de 2018

A cada ano que passa somos surpreendidos com filmes cada vez melhores. Muitos, claro, já são aguardados por serem alguma continuação. Outros são ótimas...

Os filmes mais esperados de 2019

Primeiro dia do ano, mas já tem gente fazendo planos futuros pras estreias que acontecerão no cinema. Algumas delas, aguardadas desde 2018! Confira nossa lista...