qui, 9 fevereiro 2023

Crítica | Guardiões da Galáxia: Especial de Natal

Publicidade

O clima de Natal está em todo lugar e chegou na Marvel. Estreou no dia 25 de Novembro no Disney+, Guardiões da Galáxia: Especial de Natal. A produção mostra o ex-saqueador Kraglin Obfonteri (Sean Gunn) contando aos demais integrantes dos Guardiões como Yondu (Michael Rooker) estragou a infância de Quill em relação ao período natalino. Agora, Drax (Dave Bautista) e Mantis (Pom Klementieff) decidem ir até a Terra em busca do presente perfeito para o Senhor das Estrelas.

James Gunn criou o especial de Natal baseado em The Star Wars Holiday Special, desenvolvendo um enredo festivo para o seu grupo de aventureiros desajustados. A produção é uma das últimas com a atual formação, que conta com: Chris Pratt, Dave Bautista, Karen Gillan, Pom Klementieff, Vin Diesel, Bradley Cooper, Sean Gunn e Michael Rooker. O especial é estrelado por Mantis (Pom Klementieff) e Drax (Dave Bautista), algo que é bacana de se ver, já que a dupla nas primeiras aventuras do grupo é relagada ao posto de queridos coadjuvantes. Além disso, a relação entre eles é o fio condutor dessa nova aventura que é bem nonsense.

O roteiro escrito por Gunn é brega, objetivo e pra lá de divertido. As situações que se passam após os acontecimentos de Thor: Amor e Trovão fluem de modo natural e sem atropelos. Até a mensagem sobre família e amizade, que é bem clichê dentro do gênero natalino, é bem desenvolvida e consegue engrandecer ainda mais a relação da equipe dentro do MCU. A química entre o elenco segue impecável e as novas adições do elenco tem tempos em tela diferentes: Kevin Bacon (Footloose) é a grande participação especial e se diverte em cena. Já Maria Balakova (Borat 2) tem apenas alguns segundos em tela, o que é uma pena.

Publicidade

A trilha sonora segue sendo magnífica e as canções originais são empolgantes. Os easter eggs do MCU estão espalhados pela produção. Se a produção tem um calcanhar de Aquiles, ele é a criação dos efeitos especiais, que oscilam entre a perfeição é a falta de apuro técnico. Mas nenhuma dessas falhas deve tirar o espectador da imersão que a história cria.

Mesmo sendo uma história que não apresenta grandes revelações. A produção é eficaz no que se propõem: divertir e mostrar a relação de fraternidade desse grupo de heróis que deve se despedir em Guardiões da Galáxia Vol. 3.

Publicidade

Destaque

Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios. Contato: hiccaro.rodrigues@estacaonerd.com

Deixe um comentário