Crítica | Lupin – Parte 2

Veja nossos últimos stories

Um dos maiores sucessos da Netflix, acaba de estrear sua 2ª parte no serviço de streaming. Lupin – Parte 2, continua seguindo Assane Diop no seu plano de vingança e mostra as consequências de suas escolhas. Prepare-se para se apaixonar pela série francesa protagonizada por Omar Sy (Intocáveis). O encerramento deste primeiro ciclo fará a alegria dos fãs do gênero.

Netflix/Divulgação

A primeira parte focou em mostrar as motivações do protagonista. Para isso focou no presente e o passado do dele e de sua família, mostrando suas inspirações e o seu plano. A nova temporada foca na consequência de suas ações, em especial as que envolvem o seu filho. Afinal, a busca de Assane por vingança contra Hubert Pellegrini acabou devastando a sua família. Com isso, ele precisa pensar em um novo plano, mesmo que para isso tenha que se colocar em perigo.

A sensação que se tem nessa nova aventura é que não existe espaço para erros. O roteiro se inspira em duas obras do escritor Maurice Leblanc: A Mulher Loura e A Lâmpada Judaica, livros que introduzem um novo adversário ao ladrão de casaca, o detetive Herlock Sholmes (certeza, que você pegou a referência). O roteiro continua “forçando a barra” em algumas situações e fazendo surgir conveniências milagrosas aqui e acolá, mas nada que atrapalhe a diversão. Os golpes apresentados são bons, mas nenhum muito marcante ou mirabolante. A direção continua apostando suas fichas nos personagens e nas suas relações. É o resultado é pra lá de satisfatório, os personagens da série são cativantes e possuem personalidade (ao menos os principais).

NETFLIX/DIVULGAÇÃO

O personagem interpretado por Sy conquista pelo carisma, impossível não torcer por ele. O ator convence em cena e os demais atores do elenco possuem uma boa química com o ator, em especial Antoine Gouy (Gaz de France) que possui mais espaço para desenvolver seu personagem. Uma diferença gritante nessa nova temporada é que Paris tem mais destaque, sendo muito mais do que um mero plano de fundo onde a ação acontece, agora a capital francesa se torna parte essencial do golpe de Assane. Um acerto inteligente da direção que usa muito bem as locações. Outra mudança é que agora temos uma abordagem maior sobre temas como: o racismo estrutural e a sociedade francesa, algo que na primeira temporada foi ignorado ou abordado de modo muito superficial.

Lupin – Parte 2 é tão boa quanto a parte um e encerra seu primeiro ciclo de modo muito satisfatório. A 3ª temporada deve estrear em 2022, para a alegria dos fãs sedentos por boas histórias, personagens cativantes e principalmente por mistérios.

Revisão Crítica

NOTA
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios. Contato: [email protected]

Deixe sua opinião!

Instagram

AS MAIS LIDAS

Confira a crítica de Tempo, novo filme de Shyamalan Confira a crítica de Transformers: The War for Cybertron Confira a crítica de Paciente 63 Confira a crítica de O Buscador Free Guy – Conheça o elenco do filme! Confira a crítica de Piedade