Crítica | The Boys (2ª temporada)

Veja nossos últimos stories

Estreou hoje na Amazon Prime a série mais aguardada de super heróis. Não estou falando de nenhuma produção da Marvel, nem tão pouco da DC, a série de “heróis” do momento é The Boys. O novo ano é ácido, debochado, cínico, violento e cruel! The Boys veio pra marcar seu lugar na história.

Foto: Amazon Prime/ Divulgação

A 2ª temporada de The Boys inicia revelando que Billy Butcher (Karl Urban) está desaparecido desde dos acontecimentos da temporada anterior. Esse talvez seja o maior erro da série, pelo material promocional liberado sabemos que ele irá retornar e isso diminuí muito as expectativas em relação ao seu desaparecimento. Mas nada disso deve atrapalhar a diversão. A série continua tendo um roteiro afiado e muito criativo. Enquanto a primeira temporada focou em mostrar o impacto dos “heróis” e dos seus poderes no mundo, a nova temporada inverte o ponto de vista, focando em como o poder afeta o “herói” e as pessoas ao seu redor. Essa mudança de foco é muito benéfica para a trama pois, conseguimos entender melhor o porque de algumas atitudes, além de mostrar um lado mais humano de alguns personagens. Prepare-se para conhecer/entender personagens que na primeira temporada foram vistos como coadjuvantes. Como por exemplo: o Profundo (paródia do Aquaman) que neste novo ano busca redenção (ou algo próximo disso) com suas atitudes.

Foto: Amazon Prime/ Divulgação

Os personagens evoluem com muita naturalidade e a relação entre eles também muda, tanto do lado dos Sete, como do lado do grupo liderado por Billy Butcher. Tudo isso ocorre sem deixar as críticas (pra lá de ácidas e bem diretas) de lado. Corporações que visam apenas o lucro e políticos são alguns dos focos da crítica da série que faz isso com maestria, sem deixar a violência de lado.

Por falar em violência: ela choca, mas não tanto quanto na primeira temporada. Talvez o uso em excesso nesse novo ano deste recurso, tenha tirado um pouco o impacto, mas os efeitos especiais continuam ótimos e deixam alguns filmes do gênero no chão. Além disso, as cenas de ação são muito bem elaboradas. Os amantes de referências e easter eggs vão amar a produção que tira onda com heróis tanto da Marvel como da DC. A adaptação continua não sendo 100% fiel as HQs na qual se baseia, diluindo alguns temas e mudando outros para poder ampliar o universo da série e adaptar o material de origem (os quadrinhos são bem mais pesados). As atuações são ótimas e um dos destaques é Aya Cash (O Lobo de Wall Street) que acerta o tom de sua personagem e rouba algumas cenas no papel de Stormfront, nova adição a equipe de heróis.

Foto: Amazon Prime/ Divulgação

The Boys amadurece e começa a criar uma identidade própria, usando alguns elementos das HQ’s aqui e ali, para contar sua história divertida, ácida e sanguinolenta. Mesmo com alguns tropeços a série termina com muitos acertos. Que venha a 3º temporada para saciar nossa sede de diversão.

Revisão Crítica

NOTA
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios. Contato: [email protected]

Deixe sua opinião!

Instagram

AS MAIS LIDAS

Duna – Confira a crítica do filme (Copy) As Passageiras – Confira a crítica do filme Maya e os 3 Guerreiros- Confira a crítica da animação Uncharted – Confira o primeiro trailer do filme Duna – Confira a crítica do filme Mês do Horror – Qual filme marcou sua vida?