seg, 30 janeiro 2023

Crítica | Caleidoscópio (Kaleidoscope)

Publicidade

Em 1903, o diretor Edwin S. Porter gravou o primeiro filme de assalto da história do cinema, intitulado The Great Train Robbery (O Grande Assalto ao Trem). A história era simples e mostrava o roubo de um trem por bandidos que são perseguidos e, por fim, presos por policiais… a cavalo. Ali começava a criação de um subgênero dos filmes policiais que seguiu com o tempo evoluindo e colecionando fãs ao redor do mundo. Em Ritmo de Fuga, Onze Homens e um Segredo e La Casa de Papel são alguns exemplos de produções que conquistaram o público contando a história de um grupo de ladrões que decidiu agir fora da lei, em prol do beneficio próprio. Para aumentar a lista de produções do gênero estreou na Netflix, no dia 1º de janeiro, a minissérie Caleidoscópio que promete revolucionar o modo como assistimos produções em streaming.

A produção criada por Eric Garcia (Estranho Mas Verdade) possui oito episódios que podem ser vistos em qualquer ordem e conta a história de Leo Pap e sua equipe que tentam executar um roubo épico no valor de US$ 7 bilhões, mas traição, ganância e outras ameaças minam os planos da equipe. A proposta do programa é dar autonomia ao público, deixando-o livre para consumir o conteúdo como quiser, não prendendo a trama a uma história com começo, meio e fim e apostando suas fichas em uma história não-linear. Algo parecido foi feito na trama Black Mirror: Bandersnatch e funcionou. No show criado por Garcia a proposta funciona, em especial devido a narrativa dos episódios ser fechada na própria proposta do episódio, que possuem seus inícios, meios e fins e conseguem se conectar aos demais episódios pelos ganchos deixados e que serão abordados no decorrer da história (seja qual caminho o espectador queira seguir).

As motivações criadas pelo roteiro são críveis e nós levam a torcer pelo grupo de bandidos que entram nesse jogo com suas qualidades e seus defeitos explorados. Todos esses elementos são bem desenvolvidos e mostram que ninguém é perfeito, todos os personagens tem um lado bom e outro ruim. O que faz cada um desses lados se sobressair são as tensas situações que os personagens são constantemente levados a participar. Isso leva à desconfiança dentro do grupo e, para nossa alegria, cria tensão. Afinal do que esse grupo é capaz quando levado ao extremo? A história com isso ganha muitos pontos por apresentar uma trama envolvente, dinâmica e dentro da sua proposta, bastante criativa. As cores que dão nomes aos títulos, além de auxilar na fotografia ainda dão o tom dos episódios. Os episódios com cores análogas no círculo cromático se tornam episódios quase complementares e possuem o mesmo tema. Um exemplo disso, são os episódios rosa e vermelho, que são um festival de violência e mortes.

Publicidade

As cenas de ação são bem filmadas e coreografadas, nas cenas que vemos o plano sendo desenvolvido e sendo posto em prática a produção consegue deixar tudo muito claro. A produção até usa alguns clichês de filmes de assalto aqui e ali, mas pelo menos consegue evitar na armadilha de usar artifícios baratos que deixariam claro a intromissão de elementos facilitadores no roteiro. Tudo é feito com a intenção de por o espectador para pensar e se questionar sobre o que ele vê e como aquilo pode prosseguir/ou dar errado.

Além disso a direção dos episódios consegue dar espaço para que todo o elenco brilhe. Os atores estão absurdamente bem em seus papéis e a química entre eles é incrível. Os grandes destaques da série são a atriz Niousha Noor (The Night) que dá vida a uma policial melancólica e obsessiva, GianCarlo Exposito (The Mandalorian) que dá vida a um bandido que busca vingança de seu ex-sócio e Jai Courtney (O Esquadrão Suicida) dá vida à um delinquente que só pensa em si e no dinheiro que pode ganhar.

Caleidoscópio é uma produção original da Netflix que realmente faz jus ao termo ORIGINAL, sendo um verdadeiro show de criatividade! Que venham mais produções desse calibre para saciar nossa sede por entretenimento.

Publicidade

Destaque

Morre aos 45 anos, a atriz Annie Wersching da série 24 Horas

Segundo informações do Deadline, a atriz Annie Wersching, da...

Homem-Formiga 3 | Sequência tem novo comercial inédito revelado; Assista!

Homem-Formiga e a Vespa: Quantumania ganhou um novo comercial...

Helsinki Syndrome | Série de suspense ganha seu primeiro trailer oficial; Assista!

Helsinki Syndrome é uma série de suspense de oito episódios...
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios. Contato: hiccaro.rodrigues@estacaonerd.com

Deixe um comentário