qua, 18 maio 2022

Crítica | Morbius

Publicidade

O universo do Homem-Aranha está em expansão na Sony Pictures. Após os dois – questionáveis – filmes do Venom, chega aos cinemas nesta quinta-feira (31) Morbius, filme estrelado por Jared Leto que conta a origem do vilão conhecido como, o Vampiro Vivo. A produção conta a história de Michael Morbius, um homem gravemente adoecido com um raro distúrbio sanguíneo e determinado a salvar outros que sofrem do mesmo destino, o Dr. Morbius arrisca tudo numa aposta desesperada. E embora a princípio tudo pareça um sucesso absoluto, surge uma escuridão que se desencadeia dentro dele. O bem superará o mal – ou Morbius sucumbirá aos seus novos e misteriosos desejos?

Dr. Michael Morbius (Jared Leto) in Columbia Pictures’ MORBIUS.

Se essa sinopse fosse cumprida a risca, o filme seria bom. Mas a direção de Daniel Espinosa (Vida) e o roteiro de Burk Sharpless (Deuses do Egito) e Matt Sazama (Perdidos no Espaço) constroem uma trama insossa, sem alma e que usa retalhos dos quadrinhos e do MCU para construir uma história que acontece e nunca diz a que veio. Um grande erro da Sony Pictures é querer construir um universo para os seus vilões (sem o Homem-Aranha) e dar a eles uma história de origem, na qual eles são “heróis” e vão se tornar vilões no futuro por: obra do destino ou apenas por serem vítimas das circunstâncias. O erro maior ainda é que o texto desse filme que foi escrito pela da dupla Sharpless e Sazama, não consegue criar empatia com o anti-herói Morbius. Ele é um gênio moribundo e que passa por cima de sua ética profissional em busca da cura. Fim, o espectador que goste dele com esses poucos elementos apresentados. Para piorar, o filme é uma bagunça narrativa e tem uma trama que funcionaria bem nos anos 90. As coisas vão acontecendo e acontecendo, e a impressão que temos é que a introdução nunca irá acabar, são quase 40 minutos de algo que poderia ter sido resumido em dez, bastava ter mais dinâmica e objetividade.

Espinosa é conhecido por ter feito alguns filmes de terror, logo em Morbius vamos ver muitas cenas de gore e de tensão, certo? Não! Todos os ataques que acontecem envolvendo o vampiro, são limpos e quase não tem sangue espirrando. Morbius é o filme de vampiro mais limpo da história! A ÚNICA cena na qual temos alguma tensão acontece no hospital e até empolga, mas depois voltamos ao marasmo de sempre. As cenas de ação são corretas, pena que o CGI atrapalhe um pouco o entendimento de algumas lutas no fim, mas num geral os embates são bem filmados e coreografados. O filme carece de urgência e poderia ter mais momentos de ação para compensar o texto frágil e sem graça.

Publicidade

A trama é mais coerente, do que a de Venom, não aposta tanto em piadas e tem um tom mais sério, algo que é positivo. Mas a falta de senso na construção dos personagens principais, arruína toda a história. Num primeiro ato temos um cientista imprudente, que de repente começa a se questionar sobre o que fez. Seguido por outro personagem que começa como mero financiador do projeto e que do nada se torna um entendido da ciência e vilão nas horas vagas, por fazer o mesmo que o “herói”. O mesmo peso e duas medidas? O filme aborda essa ideia? Não prefere só mostrar como o protagonista pode se redimir do seu erro.

Sony Pictures/ Divulgação

As transformações funcionam bem quando vistas de longe, ao ficarem em close vemos algumas imperfeições que não vão atrapalhar a experiência, mas a qualidade do que é apresentado diminui. O funcionamento do ecolocalizador que Morbius desenvolve, atrapalha o entendimento das cenas e talvez não tenha sido a melhor escolha inserir ela na luta final. Dito isso, temos um elenco de grandes estrelas que não consegue salvar o filme do fracasso. Tyrese Gibson (Velozes e Furiosos 9) está no filme para fazer posse de durão. Adria Arjona (Esquadrão 6) é relegada ao papel de moça indefesa. Jared Harris (Chernobyl) é desperdiçado no filme. Jared Leto (Casa Gucci) e Matt Smith (The Crown) são talvez quem mais se divertiram em cena. Mas num geral o elenco (e o filme) oferecem muito pouco para o investimento.

Morbius é um filme confuso em suas ideias e nas suas ações. Quem gostou de Venom pode se agradar com esse filme, mas é quase impossível encontrar alguém que vá amar essa produção. Nenhum dos três Homens-Aranha salvaria esse filme do fracasso.

Ps. O filme possui duas cenas pós-créditos que inserem o filme no MCU, da pior maneira possível. Assista e você entenderá.

Publicidade

Newsletter

Destaque

Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios. Contato: [email protected]

Deixe um comentário