Ray Fisher revela que “só com pedido de desculpas” para trabalhar na DC novamente

Veja nossos últimos stories

Durante a MEGACON Orlando, o ator Ray Fisher revelou que não participará das novas produções da DC enquanto não receber um pedido de desculpas de Walter Hamada, atual líder da divisão, e da Warner Bros. Pictures. Confira:

‎”Acho que tudo começa com um pedido de desculpas vindo do lado da Warner Bros. Muitas coisas realmente tristes aconteceram, especialmente publicamente. Aquilo que Walter Hamada e a Warner Bros. Pictures tentaram fazer, profissional e pessoalmente, durante um dos anos mais cruciais para os negros na história da humanidade, é simplesmente inaceitável. Até que um pedido de desculpas seja emitido, definitivamente não apoiarei nenhuma produção de Walter Hamada, ponto final. É uma coisa difícil porque sou fã da DC. Eu amo esses personagens, mas às vezes você tem que desistir do que você ama para fazer o que é certo.”

Em The Flash, o seu personagem teria participação importante na trama, mas acabou sendo descartado. Segundo informações publicadas pelo The Hollywood Reporter, o ator Ray Fisher falou sobre o jogo sobre os problemas que teve com executivos da Warner Bros. e a situação que culminou no seu corte do filme The Flash.

O ator revelou que “recebeu uma ligação do diretor Andy Muschietti contando sobre os planos para seu personagem. No entanto, as coisas mudaram quando a Warner decidiu que o ator teria apenas duas semanas de gravação como uma “participação especial”, oferecendo apenas uma fração do salário que ele receberia”. Por fim, o estúdio removeu Cyborg do filme devido aos seus problemas com o presidente do estúdio.

CONFIRA TAMBÉM:

Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios. Contato: [email protected]

Deixe sua opinião!

Instagram

AS MAIS LIDAS

Maligno – Confira a crítica do filme Crítica – O Mauritano What If…? – Confira os easter eggs do sexto episódio! Crítica – The Voyeurs Confira 10 séries imperdíveis no Star+ Crítica – Sex Education: 3ª Temporada