Análise: Resident Evil 3 Remake vale a pena? Tamanho é documento?

Veja nossos últimos stories

A campanha de Resident Evil 3 Remake não chega a 5 horas de duração, muita gente reclamou do corte de conteúdo do jogo original. Mas porquê isso aconteceu?

Quem jogou Resident Evil 2 Remake, teve uma grata surpresa ao ver todo o capricho e dedicação da Capcom ao trazer de volta para a atual geração de consoles, um jogo que marcou época.

O trabalho feito neste remake foi impecável! A única coisa que eu não gostei, foi o fato de que jogar com o Leon ou Clair, não faz diferença. Para quem jogou o Resident Evil 2 original, assim como eu, com certeza ficou chateado com isso, mas quem não jogou e talvez nem saiba deste detalhe, não irá sentir falta de nada, já que Resident Evil 2 é um excelente jogo.

O fato de só trazer um caminho na campanha, tira um pouco da vontade de jogar de novo o Resident Evil 2 Remake, cuja campanha tem cerca de apenas 6 horas. Mas mesmo assim, apesar de deixar um gostinho de “quero mais” quando zeramos o game, isso ao meu ver, não é algo ruim. Eu particularmente prefiro que o jogo seja curto e sem enrolação do que ficar enchendo linguiça para que ele dure mais, algo que me irritou muito em Death Stranding, por exemplo.

Mas em Resident Evil 3 Remake, não é bem assim. Se você achou que as 6 horas de duração do seu predecessor eram pouco tempo, imagine terminar um jogo em cerca de 4 horas? Ou seja, um terço menor que o anterior.

E isso não é o pior, nesse caso ele deixou fases inteiras do Resident Evil 3 original de fora, ignorando até uns chefes e cenas importantes.

- Advertisement -

Esse corte imenso de conteúdo, diferente do que vemos em Resident Evil 2 Remake, é grande demais para passar despercebido, mesmo por quem nunca jogou o original, já que o jogo é tão curto, mas tão curto, que chega a ser frustrante.

Mas por que isso aconteceu? O que passou na cabeça dos membros da Capcom que trabalharam neste game?

Já conversei com alguns membros da Capcom no passado, participei de palestras de desenvolvedores e community manegers que deixaram bem claro com eles, não tem essa de “em time que está ganhando não se mexe”. Se não for pra inovar, eles preferem nem fazer. Eu ouvi isso diretamente de Iohinori Ono, CEO de Street Fighter, ao explicar sobre o porque de Steet Fighter IV ter demorado tanto tempo para ser lançado, que alegou ser este o mesmo motivo da retirada de Ryu e Ken de Street Fighter III, que acabaram sendo adicionados posteriormente por pressão dos fãs.

Mas nem sempre essa inovação dá certo! E ao meu ver, uma das coisas que mais prejudicaram Resident Evil 3 Remake, foi tentar inovar mudando o Nemesis.

O jogo original se chamava Resident Evil 3: Nemesis. O personagem já tinha uma personalidade sólida construída e é um dos vilões mais icônicos no mundo dos games.

No original, ele é muito mais humanizado e tem uma rivalidade com a Jill. Isso simplesmente foi ignorado no remake, o que o transformou em um monstro genérico e sem personalidade. Fora que o próprio nome Nemesis, significa vingança ou indignação, algo que foi ignorado neste jogo.

Até a cena em que ele mata Brad Vickers, foi completamente cortada neste remake, dando pouca importância à sua participação no primeiro Resident Evil e no seu histórico com a Jill.

Fora que as interações com o Nemesis chegam a ser muito fáceis e não passam o mesmo pavor que eles prometeram nos anúncios do jogo. Nem chega aos perto do medo que sentimos no Resident Evil 2, quando o Mr. X aparece. É relativamente fácil de lidar com Nemesis na dificuldade normal e todo aquele pavor que sentíamos quando ele aparecia no original, simplesmente não existe no remake, oque é uma pena!

Ao meu ver, todos esses cortes foram feitos por um único motivo: Falta de tempo no desenvolvimento.

Com o sucesso de Resident Evil 2 Remake, a Capcom provavelmente não quis que se passasse muito tempo entre os dois games, para aproveitar a hype do anterior. Com isso, os desenvolvedores tiveram de trabalhar num prazo curto, insuficiente para que pudessem deixar o jogo completo e manter a qualidade.

Se esse foi o caso, felizmente optaram por manter a qualidade técnica, o jogo tem poucos bugs e é muito bem otimizado. Ao invés de lançarem um jogo longo, cheio de bugs, como muitas empresas fazem, eles lançaram um jogo curto, porém bem feito.

Resident Evil Resistance – O modo multiplayer vale a pena?

O game é divertido e tem a excelente vantagem de não trazer microtransações injustas. Nesse ponto o jogo está de parabéns! Não é preciso gastar nenhum centavo a mais para se divertir e conseguir o que você quer no jogo, um ponto positivo para a Capcom que parece ter aprendido com os erros do passado.

Este modo parece ter uma forte inspiração nas Escape Rooms. Trata-se um time de 4 sobreviventes, que enfrentam um jogador, o Master Mind, que é responsável por controlar o ambiente de onde os outros devem escapar.

Você provavelmente conhece os filmes Saw ou Jogos Mortais, né? O jogador no papel do Master Mind, seria uma espécie de Jigsaw, que fica colocando armadilhas e observando os 4 jogadores que estão trancafiados e precisam fugir. Cada um deles tem suas próprias habilidades e a comunicação entre os sobreviventes é essencial. Se cada um agir por conta própria, sem uma cooperação muito bem organizada, é muito difícil vencer um bom Master Mind.

Por ser gratuito para quem comprou o Resident Evil 3 Remake, com certeza vale a pena dar uma chance. Esse modo adiciona algumas horas de diversão dentro do universo do game, mas por ter um estilo muito diferente do proposto na campanha, pode acontecer de alguém gostar de um estilo, mas não gostar do outro.

Infelizmente o modo Resistance também sofre da falta de conteúdo e depois de jogar algumas vezes, ele enjoa. Com amigos, dá para passar bons momentos curtindo o game, mas jogar sozinho, como sobrevivente em uma sala com desconhecidos que não conversam entre si, não tem muita graça.

Mas afinal, Resident Evil 3 é bom ou não?

A Capcom transformou Resident Evil 3 é um jogo de ação com breves momentos de tenção e medo. Não faltam itens nem munição, você não se sente indefeso ou limitado de maneira alguma. O jogo flui num ritmo acelerado, praticamente não tem puzzles e isso tudo faz com que o tempo passe rápido, muito rápido! Dá pra zerar de uma vez só! É ligar o console, sentar, jogar, zerar e acabou! Chega a ser frustrante, especialmente para quem fez a pré-compra ou pagou o preço cheio do game.

Mas SIM! O jogo é bom! Bom enquanto! Se ignorarmos o jogo original ou mesmo qualquer outro jogo da franquia principal, Resident Evil 3 Remake é um bom jogo de ação, com excelentes gráficos, uma cinemática muito bem feita, ótima jogabilidade e eu me diverti com ele. Se você quer jogar só pela história, minha recomendação é que espere o preço baixar. Ao meu ver, é um jogo que não valeria mais de 40 reais no PC ou uns 60 no console, se você pagar menos que isso, vai valer a pena, mas pagar o preço de lançamento, só se você for muito fanático ou tem dinheiro sobrando.

Macaoshttps://estacaonerd.com/games
Macaos - Graduado em Jogos Digitais e desde 1998. escrevendo em sites e fóruns de games. Antes disso, colaborador em locadoras de games no início da década de 90; Emfim... um Old Gamer com muita experiência.

Deixe sua opinião!

Instagram

AS MAIS LIDAS

Uncharted – Confira o primeiro trailer do filme Duna – Confira a crítica do filme Mês do Horror – Qual filme marcou sua vida? Duna – Confira a crítica do filme Peçanha Contra o Animal – Confira a crítica do filme The Batman – Confira o trailer animado do filme